Como fazer piadas alguém rir

Ótimas piadas que fazem você rir. Reli 'Guerra e paz' e tropecei na frase 'Pierre Bezukhov imprimiu uma carta'. Por cerca de cinco minutos, tentei entender como ele conseguiu e Você gosta de ler piadas sem graça curtas ou procura umas piadas tuins e idiotas para fazer rir um amigo ou postar no seu Facebook? Pois é, abaixo você vai encontrar as melhores piadas mais idiotas e sem graça que alguma vez já leu mas que te vão fazer rir muito. Confira! As melhores piadas sem graça que vão fazer você morrer de rir, ou não. Por Sr. Alguém 22/03/2017 11:54 Tamanho do texto Quer conferir mais piadas? Temos algumas bem estilo tiozão do pavê: As 30 piadas ruins mais engraçadas no estilo tiozão do pavê. Piadas rápidas e idiotas. Aquelas piadas que chegam a dar raiva de ouvir a resposta super óbvia, mas engraçada ao mesmo tempo! Então, o que o pagodeiro foi fazer na igreja? Foi cantar Pá God. O que o advogado do frango foi fazer na delegacia? R.: Foi soltar a franga! 59. Tchau Hulk. Por que a mulher do Hulk se divorciou dele? R.: Porque ela queria um homem mais maduro. 60. Click! Você conhece a piada do fotógrafo? R.: Ela ainda não foi revelada! Veja mais piadas: Piadas para Crianças; Piadas engraçadas para Whatsapp Confira 7 dicas de como sobreviver ao carnaval; Veja como sobreviver aos bloquinhos de rua Mulheres costumam achar homens engraçados mais interessantes porque é tênue a linha entre o humor e a chatice. Por isso, quando alguém realmente consegue fazer uma mulher rir de forma espontânea e, é claro, sem ser um chato, elas adoram. O cara não engraçado vai tentar fazer piadas sobre si mesmo para obter a aprovação das mulheres, isso pode voltar a disparar muito rapidamente e você pode sair como alguém que tem muito baixa auto-confiança. Se você não é um cara engraçado, mantenha-se longe do humor auto-depreciativo. Dizer sujo, racistas ou piadas sexistas. Como Rir. Rir pode realmente ser o melhor remédio. Rir oferece um exercício vigoroso para tonificar sua barriga e fortalecer seu coração, e risadas regulares podem estimular seu sistema imune. No entanto, levar uma vida muito ocupada e... Como Fazer Alguém Rir. Rir é o melhor remédio, pelo menos é o que dizem. Apesar de não termos certeza de quais são os mecanismos responsáveis pelas risadas em nossos cérebros, nós sabemos que ela são ativadas por muitas sensações e... O Blog DrPepper é um dos maiores sites da Internet brasileira no quesito de Piadas em Quadrinhos Engraçadas.O site, como o próprio dono diz, não é aconselhável para moralistas e/ou todos aqueles que são menores de 18 anos, não que o site seja feito como base em sexo, sacanagem e assuntos derivados desse tipo.

Minha simples história

2020.09.23 04:53 Leonardo-Heckler Minha simples história

Bem faz um tempo que eu fico nesse SubReddit e converso com pessoas interessantes sobre diversas coisas e geralmente vejo que apanas uma boa conversa pode ajudar a pessoa a pelo menos parar um pouco e relaxar, eu fiz um server no Discord com o intuito de não ter simples frases de motivação ou discursos de como a vida vale a pena ser vivida, mas sim algo para tornar a coisa mais orgânica e natural para que todos possam trocar experiências e idéias, mas bem o post não é sobre isso kkk eu me perco as vezes mas vou tentar deixar tudo o mais claro possível.
Vou tentar me "abrir" aqui afinal nunca fiz um desabafo decente então vou tentar só falar o que me aconteceu e como eu lidei e talvez isso ajude alguma pessoa que esteja lendo então é isso.
(1-7 anos) Bem venho de uma família problemática então muitas coisas ruins de personalidade ou costumes que eu venho tentando mudar deis de então vieram dessa época, onde absorvia tudo ao meu redor e replicava da minha forma, então isso já sendo um problema teve grande coisas que me marcaram nessa época, sendo deis de eu ter sido estuprado várias vezes pelo meu pai(que está preso hoje em dia por alguma merda que fez) com a morte da minha irmã mais velha para o câncer, que além dela ser a pessoa que eu me inspirava ela também era meu porto seguro, eu podia contar com ela pra tudo ela era incrível e engraçada, ela que me ensinou que mesmo nos momentos mais ruins é importante rir e brincar, por que não importa como tudo pode estar desabando, no fim ser capaz de rir e o mais importante fazer outra pessoa rir, é o que no fim torna uma pessoa forte, mesmo ela estando morrendo ela brincava e fazia graça, e eu sabia que ela tava morrendo de medo, por que ela sempre fazia piada quando tava nervosa..mas então como eu lidei com isso? Sobre a questão da minha irmã eu sempre tentei me inspirar nela todo aniversário dela eu visito o túmulo dela, e agradeço por que mesmo tento passado apenas oito anos ao lado dela, nesse pouco tempo onde eu não entendia quase nada sobre nada ela conseguiu me ensinar coisas que eu levo e irei levar para o resto da vida, então sou grato por ela ter sido minha irmã, e sobre a questão do meu pai, eu realmente não sei como lidar com isso até hoje, talvez sejam o que chamam de bloqueio mas eu não sei realmente, lembro que isso me doía muito de uma forma que eu acordava com aquele aperto no peito e ia dormir com ele, mas acho que no fim se tornou algo que eu desisti de pensar ou sentir qualquer coisa sobre.
(7-13)
Nessa época eu já fazia muitas coisas que faço hoje em dia, mas eu fazia coisas de formas diferentes eu bebia muito e fumava, coisa que eu parei e não chego nem perto, e nessa época eu adorava ir para a escola simplesmente para ser o bobo da turma, minha alegria não era tirar boas notas nem arrumar namoradinhas ou coisa do tipo, nem ser "popular" me interessava, tudo que me fazia levantar e ir pra escola era fazer a turma toda rir, e quando o professor ria, pra mim era o melhor dia da semana kkkk, eu gostava de provocar a galera que era metida a besta, como valentões ou patricinhas da escola, e eu sempre fazia questão de ser amigo das pessoas "esquisitas" da escola era com quem eu conseguia conversar sem medo, por que eu simplesmente sentia que pertencia a esse "grupo" mesmo a maioria das pessoas desses grupos sendo antisocial e tendo problemas de timidez, coisa que eu nunca tive, eu nunca tive problema de ir na frente da sala ou algo do tipo, pra mim sempre foi algo natural, e eu lembro que depois de um bom tempo eu percebi que sozinho eu era outra pessoa, eu não brincava nem era "feliz" eu só...bem eu era do meu jeito, então depois de muita reflexão e trabalhar em me tornar melhor eu entendi que eu não precisava mudar isso, esse é meu jeito, mas a única coisa que eu precisava mudar era que eu precisava ser capa de ser feliz sozinho e conviver comigo mesmo da mesma forma que os outros, e se você se senti como eu me sentia, bem, então vai ter que concordar que a galera "esquisita" é a mais daora que tem kkkkk
(Hoje em dia) Hoje tenho 15 anos, trabalho como menor aprendiz na ala de necropsia (sim deve parecer meio estranho trabalhar com corpos, mas eu posso colocar pra tocar um Hard rock nervoso no trabalho kkk e ninguém reclama kkk) eu tenho carteira assinada e ganho bem, e já tenho dinheiro guardado para que eu possa investir depois(pelo menos isso minha família me ensinou kkk) e eu nunca estive melhor por que mesmo nos dias que eu estou mais pra baixo eu consigo levar o dia tranquilo e sem problemas, faz alguns meses que não tenho um ataque de ansiedade, tenho certeza que algum momento terei de novo mas até lá tudo tranquilo kkk, eu ando tentando melhor como pessoa e tentando me adaptar a idéia de que nem todo mundo entende que uma piada em um momento inoportuno não é ruim, mas sim o alívio do momento, mas isso aí veremos com o tempo kkk.
Esse foi o meu "desabafo" por que eu acho que deveria ser justo com a comunidade e postar um que seja totalmente sincero, e espero que alguém entenda kkk por que eu sou muito confuso falando imagina digitando kkk, mas bem é isso e obrigado por ler <3.
submitted by Leonardo-Heckler to desabafos [link] [comments]


2020.09.17 01:37 Denin1x Se não é depressão é quase isso

Hoje eu dormi a tarde, poucas vezes eu faço isso, e nas vezes que eu faço ou eu tô muito pra baixo ou eu tô exausto mesmo. Eu não fiz nada o dia inteiro, tinha marcado na agenda de estudar, não sei, não tô com vontade.
Também não quero sair de casa, as pessoas me olham estranho, não sei se é porque sou negro ou feio, talvez um pouco dos dois, meus amigos me chamam e eu invento sempre uma desculpa pra não sair. Meus amigos são mais bonitos que eu, sempre ouço as meninas elogiando eles e eu nunca fui elogiado, não cobro, talvez eu seja realmente feio e elas não querem mentir, tudo bem. Eu já estive na listinha dos " top meninos mais feios da sala ", poxa, se eu pudesse eu não seria feio, quem vai querer isso pra si? Eu não pedi pra nascer assim, eu até já me peguei querendo estar no corpo do meu colega branco, dos olhos verdes, cabelo loiro, ele se vestia bem, era bonito, tenho que admitir. Mesmo com isso tudo eu não me acho feio, eu até gosto de mim, da minha aparência, mas eu não posso dizer o mesmo das outras pessoas, deve ter um motivo pra sempre que vão falar o que acham de mim cortarem o assunto né. Sei muito bem que eu não devo ligar pra o que pensam de mim e tals, mas poxa, todo mundo pensa assim? Então deve ter algo errado né.
As vezes eu não consigo sair de casa, quando chego na porta, percebo que tem muita gente, vão me ver, ver minha feiúra, eu dou meia volta vou pro meu quarto e deito na cama, digo que não vou sair, sei lá, invento algo na hora.
Quando eu acordei hoje a tarde me veio uma sensação estranha, já tinha sentido isso antes, me veio uns pensamentos do nada, do tipo: — cara, já escureceu, eu tô dormindo, deitado, tô quase que nem um moribundo, não tô aproveitando a vida, se bem que eu sou um merda, não tenho mais muito papo, acho que notam quando eu vou rir pra simpatizar e o riso sai todo forçado, labios tremendo como se fosse chorar, por isso o papo morga na hora e a conversa acaba.
Sei que tudo isso é minha culpa, meu pensamento e minha baixa auto-estima, mas cara, é algo lá no fundo, não existe mudança de rotina que mude, eu nem tenho mais aqueles pensamentos de morte ou algo do tipo, gosto da minha vida, mas talvez assim seja pior, viver uma vida sem aproveitá-la, como uma criança muito pobre que olha um tênis bonito que ele tanto deseja na vitrine de uma loja.
Eu já sumi da vida de várias pessoas, nunca acredito que alguém goste realmente de mim, e mesmo que fosse verdade, o que eu faria? Eu só faço merda com quem eu gosto, é melhor me manter afastado.
Falando em vida, eu já não vejo mais graça nas coisas, piadas que meus amigos fazem eu rio pra não sair como chato, não gosto mais de fazer fofoquinha sobre outras pessoas, falar sobre relacionamentos, metas, estudos, sei lá, nada mais tem graça. Eu até tenho alguns sonhos mas fico pensando as vezes eles perdem o sentido, tipo, por que eu quero trabalhar? Tá, é pra fazer coisas que gosto, mas por que fazer algo que eu gosto? A vida só é isso? Manter a cabeça ocupada com coisas que gosta até que uma hora você morre?
Eu gostava de quando era criança, parece que tudo tinha mais cor, mais brilho, o sol parecia estar sorrindo pra mim, quando assistia os desenhos eu parecia estar naquele mundo, emoções intensas, paixões. Hoje nada disso tem graça, como se tudo tivesse perdido o brilho, como se eu tivesse fazendo hora extra na terra, o sol morreu, desenhos nem tem mais graça, não sinto mais aquela paixão por alguém, e dizem que eu sou frio pra caramba.
É como se eu tivesse sabido a história de um filme sem assistir, não vai ter o gosto de mistério, eu sei como acaba, 7 palmos a baixo da terra no cemitério da cidade.
submitted by Denin1x to desabafos [link] [comments]


2020.09.15 22:25 Yog-Shoghoth Tenho medo de conversar com pessoas

Desculpa o texto longo
Desde pequeno sou uma pessoa muito insegura, sempre sofri com bullying, seja verbal ou físico, de dentro e fora de casa, porém, nos últimos 2 anos, sinto que minha vida melhorou, hoje moro apenas com a minha mãe e estudo em uma escola bacana porém, ainda tem algo que me aflige.
Em todas as escolas que estudei nunca fui o garoto popular, sempre me sentei na frente e fiquei sozinho no intervalo, conhecia as pessoas porque elas vinham falar comigo para saber quem eu era, porém eu sempre gaguejava e morria de vergonha, ficava de touca longe de todo mundo lendo ( hábito que sempre tive muito por influência da minha mãe )
Porém, as pessoas que eu menos conseguia conversar eram garotas. Tipo, conseguia conversar tranquilamente com adultos, e com o tempo, aprendi a perceber sobre que assuntos eram mais fáceis de conversar com garotos, porém sempre tive problema com o sexo feminino. E, nesse últimos anos, as coisas melhoraram e pioraram.
Hoje estudo em uma escola em que não sofro bullying, fico um pouco mais tranquilo e tenho uns colegas legais, mas no começo do ano comecei a gostar de uma garota, a quem chamarei de N1. N1 era uma garota legal, que tinha gostos muito parecidos e a conheci por um amigo em comum porém no meio do ano, ela começou a namorar com um garoto e parou de falar comigo ( coisa que me deixou bem mal ) e eles ficavam se pegando no meio da sala de aula, o que me deixava meio incomodado, porém as coisas ainda pioraram.
Durante esse meio do ano ao qual fiquei mal, comecei a gostar de uma garota a qual chamarei de N2, bonita e popular, mas que sempre me tratou bem e me chamava de amigo, e, durante esses outros 6 meses, me apaixonei por ela, passava todas as aulas querendo fazer ela rir, contava piadas ( sempre fui péssimo nisso), ouvia como tinha sido o dia dela e sempre me preocupava com ela, uma das coisas que mais gostava de fazer era cheirar o cabelo dela, principalmente nos dias que ela o lavava, chegando ao nível de adivinhar quando ela o lavava e qual shampoo ela usou, chegava em casa e só ficava pensando/falando dela, e vivia pensando no seu sorriso.
No final de 2019/2020 eu mandei uma mensagem para ela me declarando ( coisa que foi um grande erro, visto que eu não conseguia falar isso para ela ao vivo ) e ela me respondeu dizendo que gostava de mim como amigo e que se desculpava se tivesse me feito mal ( pois ela se abria muito comigo e contava se tinha ficado com alguém ou estava gostando de alguém ) respondi para ela não se preocupar e beleza.
2 semanas depois ela começou a namorar com um garoto que ela tinha conhecido a 1 mês atrás, e no dia do seu aniversário, acabei não indo pois tinha medo de chegar lá e ver ela com ele, então acabei ficando em casa, triste. Quando nos voltamos as aulas, ela começou a ter uma mania de me contar sobre o seu relacionamento, desde as coisas que ele falava para ela até fotos dele, e, eu acabava não reclamando pois me sentia feliz dela me considerar amigo o suficiente para falar sobre essas coisas, porém isso me machucava muito, me deixava se sentindo um lixo. Cerca de dois meses depois eles terminaram ( ele traiu ela ) e, agora na pandemia, sinto que perdi o contato que tinha com ela, tenho vergonha/medo de falar com ela, e sinto saudades de ouvir sua voz, ver o seu rosto.
Me sinto um lixo por ter estragado a nossa amizade e me sinto o garoto mais bosta do mundo. Fico sempre pensando que sou um merda, o pior homem do mundo, que nunca vai conseguir ser ninguém pois é um covarde e fraco. Tenho uma mãe legal com quem consigo conversar, porém não consigo me abrir sobre essas inseguranças. Sinto como se eu fosse o único que não consegue ter alguém, seja um amigo ou namorada, e, sempre vi sobre esse esteriótipo de homem perfeito, que não chora nem sofre, e é um ombro amigo para as pessoas e, não consigo ser assim, muitas vezes deito em posição fetal e choro me sentindo um lixo, ou tento ficar jogando/lendo para esquecer minhas fraquezas. Nunca me considerei um garoto bonito, e, quando criança, não gostava de escovar os dentes, o que me fez ter 6 dentes estragados e 1 torto, agora tenho medo de beijar alguém, quanto mais sorrir, sinto vergonha de falar próximo das pessoas, estava indo ao dentista, porém com essa pandemia acabei parando.
Bom, esse é meu desabafo, e desculpe esse final ficar meio nice guy.
submitted by Yog-Shoghoth to desabafos [link] [comments]


2020.09.15 02:26 Cintilante Eu sou fantástica!

[edit: Vocês são fantásticos! Não imaginei que esse post fosse receber tanta atenção positiva. Vocês me fizeram muito feliz
E, kind stranger, obrigada pelo award]
Há um tempo atrás escrevi um post no tumblr dedicado a todas as coisas ruins da minha personalidade. Por muito tempo planejei escrever o antipost com a intenção de provar que nem tudo é fezes no meu reino e que eu também sou fantástica.
O momento finalmente chegou! Eis aqui uma lista - imensa, eu espero - que prova isso.
1 - Eu converso muito bem. Muitos anos de muitos livros e uma predileção por retórica me deram o dom de sustentar conversas agradáveis. Eu consigo fazer piadas bobas ou falar de Filosofia com alguma facilidade. E consigo fazer as pessoas rirem e se divertirem de verdade.
2 - Eu escrevi um relatório de Milikan praticamente sozinha. Milikan foi um cara muito louco que determinou a carga do elétron com um experimento extremamente trabalhoso em que gotas pentelhésicas de um óleo são ionizadas e depois submetidas a um campo elétrico e magnético - Ou campo elétrico e queda livre - dentro de uma caixinha pequenininha com um papel milimitrado ao fundo. Determinando o tempo que a tal gotinha leva para atravessar uma determinado distância - e repetindo o processo o maior número de vezes até que a gota suma do seu campo de visão - você é capaz - através de uma série de cálculos - de definir a carga do elétron.
Eu escrevi esse relatório praticamente sozinha no Laboratório de Moderna. A nota foi 8,5, mas deveria ser 9 se eu não tivesse tido a brilhante ideia de colocar uma tabela ao final do trabalho sem utilizar os dados com algarismos significativos.
Eu também achei a carga de meio elétron ao final do experimento, mas isso não vem ao caso.
3 - Tudo que eu pego para fazer eu faço da melhor maneira possível. Seja sobrancelha de henna, unhas, desenhos, limpeza. Eu tento fazer da melhor maneira possível. Da mais perfeita.
4 - Eu escrevo bem. Tenho histórias bem legais guardadas em um blog. Tenho facilidade em usar palavras. Em combinar palavras. Em trazer humor a escrita. E eu escrevo desde sempre. Primeiro diários, depois histórias, depois cartas para amigos, depois cartas de despedidas por causa de um pseudo câncer com o qual eu mesma me diagnostiquei, depois blogs.
5 - O meu cabelo é lindo! Sério, é cabelo de unicórnio que só usa Pantene. Ele é lindo e gigantesco.
6 - Eu sou uma boa amiga. Eu tomo as dores dos meus amigos e tento dar conselhos sempre que eles me procuram com problemas.
7 - Eu amo dançar. E danço bem. Desde criança eu tiro um prazer imenso da dança. Lembro das coleguinhas da rua virem para cá e nós nos acabávamos dançando cds e mais cds todos os dias. Eu acredito ter uma facilidade para a dança, mas também tenho vergonha de dançar na frente dos outros.
8 - Eu desenho bem. Poderia ser melhor, se eu praticasse, mas eu creio que desenho bem para quem é preguiçosa.
9 - Eu falo e escrevo em inglês extremamente bem. Não é mérito só meu. Eu tive a chance de começar muito cedo por causa de um casal de velhinhos que alugavam casa para os meus pais. O senhor tinha vários livros de inglês e me ensinou desde que eu tinha três anos. Eu era atração na igreja que meus pais frequentavam.
10 - Eu dei uma aula fantástica usando o Tracker no estágio da faculdade. Fiz um PowerPoint com o Bob Esponja na capa e dentro vários gifs explicando o funcionamento do programa. Tracker é um app legal demais que te permite calcular, por exemplo, a gravidade ou a velocidade de alguma coisa, usando vídeos. Você marca a movimentação de um pixel frame a frame e o tracker converte esse negócio em distância. Daí ele faz os cálculos e também gráficos. (Tem vídeos no youtube da galera calculando a gravidade no Angry Birds, por exemplo)
11 - Eu gosto de explicar coisas. Eu me satisfaço demais explicando coisas complexas que consegui entender para outros. Como, por exemplo, o funcionamento do microondas. Como ele “nasceu” da ideia da criação de um raio da morte na segunda guerra e evoluiu nessa coisinha pequena e prática que temos em casa que usa campos magnéticos para mexer com a dipolo água, e desse jeito esquenta nossas comidas e não nossos cérebros.
12 - Eu amo resolver problemas no trabalho. Minha maior satisfação é ter uma pilha de coisas para fazer e conseguir resolver cada um deles, por mais complexos que sejam, sozinha ao longo do dia.
13 - Eu amo animais. E ajudo todos os que posso. Sempre que o dinheirinho permite.
14 - Eu consegui entender Nietzsche sozinha - E também sei escrever o nome dele sem precisar do Google. Quando digo sozinha quero dizer através da minha própria pesquisa e curiosidade. Sem ser obrigada. Tive conversas extremamente legais no Reddit na sub de Filosofia que me auxiliaram demais. Conversas que eu não me achava capaz de ter, sobre coisas que eu não me achava capaz de aprender.
15 - Eu consigo rir da minha desgraça. Às vezes até mesmo durante a desgraça. O terapeuta sempre dizia que eu ria enquanto chorava e fazia piadas com o choro também.
16 - Eu fico bonita chorando.
17 - Quando alguém me procura com alguma tristeza para contar eu sempre quero muito dizer a coisa certa para aliviar esse sofrimento.
18 - Eu sonho ser livre. Do medo, da rejeição, da carência. E esse meu eu ideal, essa Casanova de chocolate é tão legal e me faz tão feliz que me afastar dela todo dia com a realidade me faz sempre um pouco mais triste.
19 - Eu sou cheirosa - Em horário comercial.
20 - Eu sou simpática e falo com todo mundo.
21 - Eu sou carinhosa - Ainda que tenha vergonha disso.
22 - Eu beijo bem - Foi o que ouvi dizer.

É um textão e talvez ninguém leia, mas eu precisava compartilhar isso com alguém.
E mais, se você, como eu, se sente geralmente incapaz, desinteressante, pequeno, faz a sua listinha também. Em cima das fezes às vezes existem flores.
submitted by Cintilante to desabafos [link] [comments]


2020.09.01 22:52 kinoko_okonik Eu sou babaca por não tolerar o comportamento da minha mãe?

(É uma história meio longa) Eu realmente preciso de uma ajuda com isso, vou dar um contexto: eu sou garota, tenho 17 anos, minha mãe me teve muito nova, então quando eu tinha 3 anos, ela conheceu um rapaz brasileiro cuja família morava no EUA e foi embora pra lá, de lá pra cá ela nunca mais voltou, mas conversa diariamente comigo. Eu moro com os meus avós, que eu chamo de pai e mãe, mesmo nossa relação não sendo muito boa a gente convive.
Ok, voltando à história, eu namoro à 9 meses com um garoto maravilhoso, ele me faz muito bem. Minha mãe não gosta dele, mas nunca falou nada sobre, como ele mora perto eu vou na casa dele direto, minha avó gosta bastante dele. Minha mãe fez questão de me ligar, como a gente tava ocupado jogando e dando beijinho eu recusei e mandei uma mensagem de "mãe, eu tô ocupada, depois a gente se fala ok?" Ela não gosta dele, sendo que ela nem conhece ele, e usou disso pra fazer um comentário racista sobre meu namorado (Meu namorado é negro) e reafirmar que ele não gosta dele por coisas que eu disse no passado (Ano passado eu e ele éramos amigos mas nossa amizade tava passando por uma fase ruim já que a gente se gostava mas era muito complicado ficar junto, então eu disse que ele andava muito triste e quieto), ela disse que "ele não dá valor na vida que deus deu pra ele". E eu fui bem clara e falei
Eu: Ainda bem que quem vem aqui sou eu e não você.
Mãe: Opa, olha o jeito que você fala comigo, eu não tô te maltratando.
Eu: Nem eu, mas essa foi uma opinião que eu não pedi, uma piada que eu não gostei (sobre a piada racista que ela fez)
Mãe: Você precisa aprender à rir das coisas, ter senso de humor. Você precisa de pessoas positivas na sua vida.
Eu: Ele é uma pessoa boa, e é mais positivo do que você tá sendo pra mim, ele me faz bem feliz e eu não vou parar de vir aqui porque você quer.
Isso resultou em uma grande discussão que no final eu falei "Desculpa se eu te ofendi". Ela mandou uma mensagem falando que não queria mais falar comigo, ok, passaram 4 dias e eu não chamei ela, não falei com ela sobre nada. Acho que ela esperava que eu fosse chorando pedir desculpa por não aceitar a piada maldosa dela, eu só aceitei o "não quero mais falar com você" e não chamei ela.
Hoje ela ligou para a minha vó, falou mal de mim, do meu namorado, ameaçou parar de ajudar minha vó à pagar as contas. Então eu fui falar com ela, eu comecei à fazer psicóloga faz poucos dias, então eu resolvi torar esse peso das costas pra não precisar encher o saco da minha psicóloga com briga assim e me abri pra minha mãe.
Disse que ela não me conhece direito, que eu quero ser amiga dela, a gente podia resolver tudo isso, pedi desculpa se eu ofendi ele, pedi pra ela me ouvir e disse o quanto meu namorado me faz bem.
Ela me mandou aseguintes mensagens: "Você tá sendo dramática, eu não fiz nada demais e você começa à gritar e ser assim" "Eu não tô podendo com esse tipo de relacionamento, isso é tóxico" "Você tem idade o suficiente pra saber o que é certo e o que é errado"
(Lembrando que eu não gritei com ela afinal em todo esse tempo a gente só trocou mensagens no Whatsapp.)
Eu disse: Ok, se você tá me fazendo mal e eu tô te fazendo mal, eu não vou mais voltar na conversa, desculpa. Eu só queria que você fosse minha mãe e minha amiga.
Ela mandou um áudio de 3 minutos falando pra eu me pôr no meu lugar, eu não sou a dona do mundo, eu nao sou a "fodona". Eu disse que eu nunca disse isso, ela tava pondo palavras na minha boca, ela respondeu falando que eu coloquei nela erros que ela não cometeu e ela é a única que me apoia.
Segue a conversa:
Eu: Eu desculpa, você que tá na defensiva.
Mãe: Claro que eu entrei na defensiva, vocês só me atacam, uma hora a pessoa precisa se defender, não sou saco de pancadas.
Eu: Ninguém tá te atacando, eu falei como eu me sinto, foi pra isso que você me colocou numa psicóloga. Eu não gritei com você, eu não briguei com você, só tô tentando conversar.
Mãe: Coloquei pra ver se você para de ser egoísta, te ensinar à ser mais humana.
Eu: Ela não é professora, ela tá lá pra conversar.
Mãe: Você viu qual o seu erro? Não importa quem esteja errada, eu não vou discutir com ela e cobrar dela uma opinião que não é minha. Se você tem uma opinião, guarde pra si.
Eu: Digo o mesmo, guarda a sua opinião sobre o meu namorado.
Mãe: Não é opinião, é conselho.
Eu: Mas eu não pedi!
Mãe: Você sabe que eu faço brincadeira.
Eu: Eu sei, mas eu não gostei, simples, o limite do humor é quando magoa alguém. (E isso magoou meu namorado, ele ficou extremamente incomodado)
À partir daí ela quis me dar sermão, falou que não vai pedir desculpa, falou pra eu só chamar ela quando eu souber conversar e eu cansei de ser lógica e disse "Ok, eu vou te bloquear, eu cansei de tentar falar com você em paz, você não entende mesmo."
Ela me ligou URRANDO de raiva, disse que eu era uma desgraçada ingrata, eu tava de castigo, não ia fazer mais nada pra mim, se soubesse que eu sai de casa vai tirar tudo que eu tenho, vai cancelar a psicóloga.
Eu quero saber, eu fiz errado em algum momento? Eu não vou deixar ela magoar a pessoa que mais me faz bem nessa vida de forma alguma. Alguém tem algum conselho?
Update: ela me mandou mensagem falando que me mandou dinheiro pra comprar coisas, eu falei "não quero, manda pra (minha vó) pagar conta", eu tô tão brava com ela tentando me comprar que não cabe em mim a raiva.
submitted by kinoko_okonik to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.29 20:42 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

(Postei primeiro no desabafos, mas resolvi postar aqui também)
O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.
Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.
A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.
A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha
Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to sexualidade [link] [comments]


2020.07.29 20:24 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.

Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.

A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.

A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha

Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to desabafos [link] [comments]


2020.06.21 05:16 KitanaMortalKombat Nice amiga tóxica e possívelmente uma trouxa q falou meio kid ;-;

(Luba eu sou menina mas faz voz de menino pfv! É q a minha voz e mto grossa e por isso algumas pessoas acham q eu sou um menino ou se tu quiser pode falar no queridíssimo sotaque favorito.... Bah né?) Olá Lubinho,minhas amigas,gatas,papelões sobreviventes,leds q ngm mais lembra,tela verde,possível convidado,nice guys ou girls,editores,chroma keys e turma q está a ver,essa é uma história q infelizmente eu sou a protagonista! Para dar um pouco de contexto: Essa história aconteceu quando eu tinha 8 anos e estava do 3° ano(cuja ainda estava descobrindo minha sexualidade,e eu achava q era bi!(hj eu descobri q sou pan)) e eu dei um ponto final nisso ano passado quando aonda tinha 10 anos e eu era meio mto Kid ;-; ent por isso q deixei em julgamento e provavelmente vai dar em: Td mundo é o babaca aq! Mas né? Td bem ;-;. Bem.... Eu sempre fui gordinha e até hj sou! E por isso eu sempre sofri bullyng na minha escola ngm queria ser meu amigo e tals.... E fui trouxa de achar q a menina q fazia bullyng cmg ia ser minha amiga se eu deixasse ela brincar com meus brinquedos (q enclusive era os mais famosos e os mais ricos da galera,pq entes eu tinha mto dinheiro e uma mulher tava roubando dinheiro da minha família inteirinha mas hj a gente venceu no processo! E tamo pobre por causa daquela mulher .. e tenho ctz q se eu contar essa história vc vai xingar a mulher até a rainha Elizabeth morrer)e por causa dela me fazer bullyng td dia cmg e n ter nenhum amigo q bringasse cmg (Guarde essa informação:só uma garota q ainda é minha amiga e continuamos amigas até hj u)eu óbviamente tive depressão e meus pais são aqueles tipo de pais q acha q depressão é falta de fé em deus e q só precisa rezar e vai tá td certo! (E no 3° ano descobriram q eu tinha ansiedade ent... É uma merda a minha vida ..)dps q eu saí daquela escola(q por sinal eu era a preferida de tdas as profs,até a tia q fazia comida pra gente gostava mais de mim,a cordenadora e a diretora da escola tbm me preferia e elas fizeram de td pra mim n sofrer mais bullyng pq essa escola era grande amiga da minha mãe e eu faria de td para agradecer essas pessoas maravilhosas :D (to até chorando escrevendo isso aq rs)) eu fui pra msma escola do meu irmão e aí a trouxa pensou: - Nss... Finalmente vou ter amigos e n vou sofrer bullyng! É.... Eu tava errada ;-; no primeiro dia uns meninos me trancaram na sala e riam de mim enquanto eu chorava e gritava tentando abrir a porta desesperadamente! (Obs: um dos meninos n tinha pai mas n era por isso q ele fazia bullyng cmg pq msmo quando a mãe dele se casou dnv ele continou a praticar bullyng cmg e eu n sei se foi antes ou dps da mãe dele se casar dnv q ele espancou uma amiguinha minha q a gente zuava e ela zuava junto pq ela era uma parente do um dos caras q ajudou o Pedro Alvares Cabral a descobrir o Brasil (eu n sei se ela era parente de um amigo dele OU ela era parente dele mas me lembro q ela era parente de alguém importante q eu estudei em história no 4° ano)) enfim.... Eu fiquei assim até o 2° ano q era pior ainda pq eu n conversava com ngm por ser tímida d+ e eu nem conversava mto com minhas amigas,pq eu tava no meu vício de FNAF (Five Night At Freddy's) e nenhuma das minhas amigas gostava desse jogo ou de qualquer jogo de terror (E eu ainda so mto viciada nesse game sóq eu to mais viciada em mk(Mortal Kombat) doq FNAF) ent eu só tinha amizade com os funcionários e com os professores! E esse ritimo só foi parar no 3° ano quando conheci uma menina q logo em seguida virei amiga dela no primeiro dia (Uma informação para guardar: E tbm tinha um menino novo q virei tbm melhor amiga.) e ela tbm gostava das msmas coisas q eu gostava... Resumindo: FNAF. Sóq os pais dela descobriram oq é FNAF e acabaram proibindo ela de ver FNAF oq foi PÉSSIMO para minha saúde mental já q pq essa menina acabava fazendo de td para q eu n falasse sobre FNAF de modo algum! E q no final n deu certo e ela acabou falando cmg sobre esse jogo dnv, bem... Até aí aceitável.... Sóq.... Acabou q nós duas criamos nossos canais no YouTube e eu era inscrita no dela e ela n era inscrita no meu pq a lógica dela era assim: -Vc tem mais inscritos doq eu e eu só vou me inscrever do seu canal quando eu for mais famosa doq vc! E eu n ligava pra isso pq eu era mto leal (e ainda sou) e por mais q a lógica dela de achar q ela era mais importante doq eu me machucava eu n ligava e continuei amiga dela, isso continuou até a gente começar a fazer vídeo de um jogo para fazer histórinha (o nome do jogo é:Gacha. Sóq tem vários Gachas ent eu só falo gacha msm) e lógico q isso para mim foi mto legal! Até pq eu gosto de fazer essas histórias, mas ela parecia q fazia só pq eu fazia (e ainda fasso e sofro bullyng pelo meu irmão pq a comunidade gacha tem mto +18 e a gente tá tentando acabar com isso,virou até matéria de jornal) e bem... Foi aí q a merda começou a feder! Se lembra do garoto? Ent..... Ele era um puta de um amigo meu e ele q se increveu no meu canal para me ajudar (Canal básico de 12 inscritos q eu tanto amo :,3) e ele sábia q eu sofria de depressão e sempre me apoiou, acontece q ele n se dava bem com a garota e ele sempre ficava se olho nela para ver se ela n fazia nenhuma gracinha cmg, acontece q ele disse q a bonita fazia desenhos dos meus bixinhos (Q ela fez de brigar cmg para q um dos bixinhos desse menino se casasse com a bixinha dela e dps a gente foi pra cordenadora e ela disse q era culpa minha e do menino,e aí q ela percebeu q tinha o poder de fazer as cordenadoras acreditarem nela e ela sempre fazia questão de brigar cmg e dps se fazia de vítima!) e os bixinhos eu cuidava (e ainda cuido) como se fossem pessoas de vdd ela fazia desenhos deles sendo torturados e dps colocava mensagens horríveis e o garoto sempre conseguia pegar e falar para eu mostrar pra minha mãe(e eu nunca aceitava de falar para meus pais) e aí quase começou um rumor falando q eu namorava com ela (AGR Q EU QUASE ME FUDI LEGAL :D) e bem dps de uns dias eu descobri um app de desenhos q acabei descobrindo q tinha uma comunidade nele! Era incrível! Eu fiz mtas amigas nele e... Óbvio q essa menina acabou descobrindo e me ameaçando de terminar a amizade se eu n contasse para ela qual era o app.... E eu contei pra ela e eu n mostrei pra ela minhas amigas virtuais e minha família virtual, em um belo dia a trouxinha aq acabou falando q tinha depressão e q minha vida tava uma merda (pq naquela época minha vó por parte de mãe foi diagnosticada de câncer e minha outra avó tbm por parte de mãe (minha mãe teve 2 mães a vida dela inteira, uma q cuidava dela e outra q era a biológica)tava piorando o Alzheimer dela) e eu pensei q ela fosse me apoia,mas parece q ela viu como oportunidade de controlar minha mente (pq eu tenho uma baixa auto-estima tbm e naquela época eu ainda sofria bullyng ent me controlar n era algo tão difícil) e bem ela continuava com a lógica dela de: -Vc n pode ser mais famosa doq eu! E ela sempre fazia eu colocar como a palavrinha do meu perfil (q quando existia a comunidade do Rascunho (o nome do app) vc podia colocar uma palavrinha do perfil e dps vc escrevia uma mini-bio e falava seu gênero) de: -Eu sou a melhor amiga da Funtime tangle 💗. (Funtime tangle era o nome do perfil dela) mas óbivio q eu nunca ia ser trouxa nesse nivel.... Fiquei com essa palavrinha apenas por uma semana e dps mudei para: - Meu perfil!. (Ou algo assim ;-;) e ela sempre tava lá para falar pra eu colocar oq ela quer e eu.... Tratava da zueira e teve uma vez q eu coloquei: -Eu gosto de chocolate! (E eu gosto mto msm ;-; como de tds os sabores até os 50% cacau) e adivinha! A MININA FICO PITA :D (sóq para n mostrar sua raiva apenas falou para eu colocar aquela frase horrorosa) e dps de alguns dias eu e ela viramos amiga de uma garota (inclusive bjs Pistolitaduud :D)(nome do perfil dela no Reddit ;-;)e ela me dizia sempre essa garota falava pra ela deixar só eu e ela brincar, bem voltando para o app Rascunho (Inclusive guarda a pistolitaduud na cabeça pq vo falar mto dela dps) eu fazia uns desenho q era melhor doq os dela (q agr reparando melhor era MTO melhor ;-;) ela passou dos limites... Sim Lubixco... Se vc pensou q ela começou a roubar meus desenhos vc... ER- ACERTOU! Ela começou a me plagiar e nunca colocava os créditos e ainda tinha a ridícula desculpa: - Aiinn!! Mas os seus desenhos já estão prontos!!! E bem... Eu acho q nunca fui tão trouxa de deixar isso passar já q ela tava pegando meus desenhos (q eu me lembro q ficava HORAS desenhando) e tava ganhando em cima do meu trabalho.... Q eu n deixava ela pegar meus desenhos mas... Msmo assim ela pegava... Lubixco pss te falar qual foi a pior coisa q eu fiz? Pois mto bem.... Eu contei para uma das minha irmãs virtuais q ela tava me copiando e tava ficando mais famosa q eu por cima dos MEUS desenhos e n tava dando os créditos para mim e ainda tinha gente elogiando ela... Lubixco... LUBIXCO! Eu fudi com a minha vida :D ela foi me defender e dps essa garota falava q era minha irmã virtual e eu falava q ela n era pq eu n queria.... Lubixco.... Vc entendeu oq aconteceu né? Se vc acha q essa minha irmã virtual disse q era minha irmã e essa garota disse q era minha irmã.... Vc acertou :D E DPS ELAS FICARAM AMIGAS! Aí eu aceitei na boa.... Pior decisão na minha vida.... E n importava se eu tinha sim ou n um novo membro na minha família virtual ela falava q era tbm minha irmã e td mundo ficava amiga dela.... E foi um dia q ela PASSOU dos limites LITERALMENTE (e eu ainda n terminei a amizade naquela hora) a trouxa aq teve uma conversa com a família virtual,tevem tbm uma mini-aventura e dps a gente nomeou de: "O chat loko". E como a gente gostava de desenhar a gente nas conversas eu desenhei td mundo q participou do chat junto com a minha oc (Oc= Original Character. Q por acaso ela tbm copiou) ela BRIGOU cmg pq ela n participou da conversa e dps abaixou o desenho (q eu deixei livre para as pessoas q participaram abaixarem) e usou o msmo nome "O chat loko" me marcou com a legenda: -Pena q a @Old Zclarafrx (Meu @ na época) n participou! E ainda sab oq ela fez? ELA PEGOU O DESENHO Q EU FIZ N COLOCOU OS CRÉDITOS DNV E NO LUGAR DA MINHA OC ELA COLOCOU A DELA!!! LUBIXCOOO!! EU FICO PITA SÓ POR PENSAR Q EU ERA AMIGA DE UM MONSTRO COMO ESSE! (e tenho dó da gata dela ter tido uma dona tão fdp enclusive... Descanse em paz filó... A única gata q n quis me matar ;-; e f pela Mina (a nova gatinha dela)) eu n briguei com ela... Eu acho ;-; mas eu penso nas coisas q ela fazia pra mim e eu me lembro as coisas q eu fazia por ela.... Eu fiz questão de brigar com um mlk q começou a falar q ela ainda tava na primeira página q a prof mandou e td mundo tava indo lá pra ver e eu oq fiz?: -Eii!! Deixa ela em paz! -Aaa!! Agr só pq vcs são melhores amigas vc vai defender ela? E eu juro q eu n era uma pessoa de brigar... Mas ele me pegou no dia das paranóia q eu tenho q tipo eu penso numa merda pra eu fazer e querer saber as consequências... Eu sou um ser diferente nesses dias... E adivinha? Eu falei: -QUER ENCARAR? -Sim! E...Round 1... FIGHT! TÃNANA nana na nanana na na na na tiu pras PANANANA PANANANA (Música do Mortal kombat ;-;) e tava lá o mlk chegou e me deu uns chutes e quando eu fui atacar... BLAM! Derrepente a sala inteira tava me segurando na parede para q eu n dasse um próximo golpe.... Class wins! Flawless victory... FATALITY! E eu tenho medo de saber oq teria acontecido se eles n tivessem me colocado na parede no ponto de fazer eu sair do chão....E EU N ERA TÃO FRACA ASSIM! Enfim eu recebi nem um: -Poxa cara... Valeu! Ou: -Obg amiga! Sim eu to julgando por ela nem ter me dado um simples "obg" e se eu fosse ir de volta para a cordenação eu ia ser suspença e eu contei isso pra minha mãe e ela me entendeu... E dps tds sabendo dessa notícia parece q começaram a falar mais mal ainda dela e eu n podia erguer a voz pq se n.... Suspenção :D e a minha mãe sempre falava: - Pq vc n falou nada? Nessas horas seria legal alguém ajudar ela! SIM ELA FALAVA ISSO!! Acho q nunca me senti tão traida assim... Os dias foram se passando e nossa amizade piorando... Ela chegou a pegar meu celular e apagar umas fotos n importantes mas umas fotos importantes de um primo meu q eu quase nunca via! E dps mexeu nos meus apps e colocou aquela frase: - Sou a melhor amiga da Funtime tangle!💗 E se lembra dequela garota do começo q eu disse ela é uma puta amiga minha? Ent.... Ela acabou sendo amiga dela junto cmg! (Informação para guardar: originalmente era para a gente ser um trio!) e essa menina disse q essa minha amiga (Cuja vms chamar ela de carol) disse q a carol e ela mexeram no meu celular! Óbvio q eu n acreditei pq eu sei q a carol nunca faria isso cmg! E como essa garota foi meio dedo duro as vezes cmg (Pq eu via uns vídeos 18+ pq os caras enchiam de palavrão o vídeo ;-;) e ela já contou para minha mãe e bem.... Agr a parte q eu disse sobre ser Kid... Inclusive eu me envergonho disso... Eu mandei UM VÍDEO e UM ÁUDIO chorando para A MÃE dela e falei oq ela fez com meu cell (e quer saber? Eu n vou mentir! Por causa dessa menina eu fui mto kid mas era uma kid q militava errado! E fazia tbm ameaças para ela caso ela n me respondesse! E me envergonho disso até hj TT)e ela acabou ficando de castigo aí eu DESCUBRI q essa menina n podia mais ter Rascunho! Ent eu tava feliz! Finalmente ngm ía ganhar fama em cima do meu trabalho! Mas ela n ligava e continou com o Rascunho! E eu sempre ficava pensando: -Será q vale a pena? Será q ela REALMENTE gosta de mim? Será q ela quer msmo ser minha amiga? Será q se eu morresse ela iria chorar por mim? E eu sempre me perguntava isso td dia até q eu pensei: -Ela nunca se importaria cmg msm. E eu fiquei com esse pensamento tentando fazer ela gostar de mim... Mas aí se passaram uns dias e os meus amigos virtuais e minha família virtual parou de falar cmg... E eu começei a falar mto mais com a Pistolitaduud,acontece q eu percebi como ela era quando eu fui pra casa dela e ela n falou nem um: -Obg. Para a empregada dela (q foi ela q cuidou sempre dela e do irmão) aí eu tentei manter distância e mudei de turno da tarde para o da manhã (n por esse motivo mas sim pq meu irmão entrou no 1° colegial) Lubixco.... FOI O ÚNICO ANO Q EU N SOFRI BULLYNG :D (Na vdd foi o único ano q n aconteceu merda na minha vida pq recentemente meu tio veio a falecer dps de um cirurgia de câncer no fígado... EU TAVA FELIZ PQ MINHA MÃE,MEUS TIOS E MEUS AVÓS GANHAMOS NO PROSSESSO E AINDA TEMOS NOSSAS CASAS E AÍ MEU TIO MORREU! 2020 tá ó 👌) 2019 foi um ano de ouro pra mim pq um pedófilo q eu tanto odeio foi preso (inclusive ele plagiava e treto com o Goulart) e foi quando minha fixa caiu! Eu fui postar um desenho das minhas ocs e coloquei no título: -Bffs! Aí vem A DISGRAÇINHA da mina (Eu queria ter prints dessa conversa sóq o app tirou a abba comunidade e eu n podia ver vc Lubixco :( mas eu acho q consigo ressussitar algo! E eu mandei uma mensagem para a Pistolitaduud e vou esperar ela me responder aí eu vou atualizar o post mas até agr n tenho print da conversa....)para falar assim: -Me coloca aí! E elas nem existem! Fiquei de saco cheio e falei: -Eu n vou mais fazer parceiria com vc no rascunho e nem no YouTube! E ela me manda uma coisa dessas....: -Nss.... É por isso q vc n tem amigos! Luba.... LUBINHA DO RAIDEN! ELA FALAVA Q ERA MINHA AMIGA E DPS DISSE Q EU N TENHO AMIGOS! ME EXPLICA ISSO!!!! Fico puta até hj com ela... Foi aí q eu falei: -Na vdd eu tenho sim! Pq o meu nome n é (Nome da mina ;-;)! Cortei a amizade com ela! Falei pra mãe dela q a menina tinha um Rascunho sem a autorização da mãe e oq ela fez cmg! E a Pistolitaduud tbm e cortou a amizade com ela se lembra do nosso "trio"? A guchi (Bitch em japonês) tentou separar eu da carol! DÁ PRA ACREDITAR?! Dps disso fiz uma outra amiga... Q acabou sendo melhor doq essa menina e meio q ela me curou da minha "doença" (Kid militante) e essa garota (Vms chama-la de anja pq ela foi um anjo q me tirou da bosta) disse q ela era aqueles Heteros tops homofobicos e eu fiz ela ter uma visão diferente do mundo e fiz ela descobrir q tbm era pan e bem...... Minha vida melhorou dps de td q aconteceu! A Anja e eu começamos a namorar recentemente TwT (E é essa parte da história q o Luba fala q é fake huehuehue) e eu e ela gostamos das msmas coisas das msmas cores e uma curiosidade engraçada q eu faço aniversário dia: 24 de Julho. E a Anja faz dia: 25 de Agosto. 1 dia dps do meu aniversário e 1 mês dps do meu aniversário kkkkk e bem... Dps de uns dias no ano passado eu dei um "Oi" sorrindo pra ela pq eu coloquei a gente em uma situação engraçada aí ela me mando uma mensagem dessas: -Acho q EU consigo TE PERDOAR. LÓGICO! Pq ELA PIOROU MINHA DEPRESSÃO,ME DESRRESPEITOU EM TDAS AS MINHAS HISTÓRIAS,ME PLAGIOU,FEZ COISAS IDIOTAS CMG E EU ME FUDI E ELA NEM ME DEU UM "Obg" CLAROOO EU VO MTO PERDOAR ELA!!! E por causa DELA eu to fudida na auto-estima! Óbvio q eu iria perdoar ela né? Dessa vez eu falei pra ela tomar no ku e tomar uma vergonha nessas duas caras dela! (Mentira n mandei uma mensagem assim n ;-;)(mas queria) e bem.... Agr eu tenho amigos de vdd uma namorada, uma ótima relação com minha sala estou menos insegura de si e oq ela falava sobre: -Vc n pode ser mais famosa doq eu! Agr eu DUVIDO ela me plagiar e ser mais famosa doq eu... Pq agr aq estou eu com meus 11 mil inscritos (Inclusive obg tds q acreditaram q eu conseguia QwQ) e com tds eles me alertam quando alguém tenta me plagiar! E bemmmm.... Essa história teve pelo menos um final feliz né? Uma bela história de superação de amizades falsas! E agr eu estou fazendo meu próprio remédio contra depressão! Assistir tds os meus Youtubers favoritos (cof cof Luba cof) e amigos! Enclusive essa história um bom conteúdo para o Luba enclusive Lubinha.... Obg por me fazer rir com suas piadas idiotas mas msmo assim engraçadas! E bem... Tá na hora da pergunta.... Eu fui a Babaca? (Inclusive manda um oi pra Prima da Anja e pra Pistolitaduud ela s tbm te assistem!)(Atualização:a Pistolitaduud me mandou os prints da conversa pq ela tinha guardado, já vo logo avisando q são apenas 2 kids e eu n me lembrava dessa conversa '-')a conversa kid
submitted by KitanaMortalKombat to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.10 22:08 Zaruvado A minha waifu existe , mas agora a parte que ficaria no meio do primeiro post.

Ohayo luba-sama , lindos editores , gatas , papelões (que descansem em paz) , possível convidado , e turma que está vendo ou ouvindo o luba. Essa história é uma "continuação" da história. Eu disse no post anterior (a minha waifu existe) que talvez um dia eu contasse o que aconteceu no meio da história , que senão ia ficar muito longa e tals. Um resumo não tão breve assim: eu estava no clube e vi uma garota que se parece com a minha waifu (vou chamar de Miku em homenagem à minha waifu , Nakano Miku de gotoubun no hanayome , eu sinceramente recomendo esse anime , Luba) e com o poder do ecchi a Miku caiu em mim de um jeito que eu entrasse e tocasse em TUDO dela (de um jeito um pouco adulto) e o meu amigo que tava junto ainda não esqueceu de me zoar com essa porra até hoje e depois eu tive que falar com a Miku e tals para entender que porra foi aquela e pegar os contatos para falar depois se desse alguma merda sobre aquilo e saber o que fazer depois daquilo , aí a gente virou amigos pelo gosto em comum e tals , mas , um pouco depois disso começa esse post.
Ok , lá estava eu , em um restaurante que tava indo pela primeira vez , mas com a minha família e tals para comemorar as minhas notas (na época eu tava no sétimo ano) e fui no banheiro para mijar (obviamente , pera , mas eu podia ter ido cagar... Deixa para lá) , mas tinha uma fila enorme e tinha um banco , e eu sentei nele (aqui se encaixa uma piada sexual) e depois de uns minutos vejo a Miku vindo para o banheiro (provávelmente) , mas a ela desmaiou e adivinha em quem. Sim , isso mesmo , em mim. EM MIM , AHHHHHH É SEMPRE EM MIM E SEMPRE TEM QUE TER A PORRA DO ECCHI , AHHHHHHH. Mas dessa vez com a boca em um lugar (R.I.P. meus testículos) e eu sai dali e deixei a Miku deitada no banco e chamei alguém para fazer o que tinha que fazer de primeiros socorros , e também fui procurar e avisar quem tava com ela e tals. Aí me falaram que foi de alguma coisa de pressão , não lembro se era baixa ou alta , mas sei que foi "bem de boas" e que podia ser bem pior , mas foi por bem pouco que ela desmaiou.
No dia seguinte tomei coragem (eu sabia que ia dar merda e que iam me zoar para o resto da vida) e falei que conheci uma garota que se parece com a minha waifu e tals para uns amigos meus da escola e de zoeira um "amigo" (aquilo não tinha uma boa intenção , sem dúvidas) falou para eu "me declarar" (aspas pq ela não tinha me atraído tanto para chamar de amor e me declarar) e aí como eu sou retardado eu decidi fazer e elevar "um pouco" o nível. Eu preparei um MOTHER FUCKER TEXTO DE DECLARAÇÃO para pedir ela em namoro no ano novo e eu esperava um fora épico e que eu ia ir embora rindo para um caralho (aqui se encaixa uma piada sexual). Mas como sempre tudo dá errado para mim e ela aceitou e eu fiquei sem palavras e ela chorando me abraçando e todo mundo vendo e cada segundo que se passava eu me sentia pior e mais desconfortável. E eu não ia falar que era uma pegadinha (até pq eu me dei bem) e senão ia dar merda para ela e ia geral rir dela e zoar , não que ela ligue para isso , mas eu só fui descobrir isso depois. E até hoje a gente tá junto (só até hoje mesmo , assim que ela ver , ela vai reconhecer e comer o meu cú por saber que era uma pegadinha) e depois eu comecei a gostar dela de verdade não só por ser igual à minha waifu , mas pelo humor , a cara fofa quando ela tá puta (respiração do gado décima terceira forma: ela é tão bonita quando fica brava) e várias outras coisas como gosto em comum ela é bonita e eu gosto dela (kawaii desu ne? Mimimi). Então , tchau e se der merda (denovo) eu atualizo o post ou faço outro , tanto faz.
Obs: Se você reconhece essa história , não sou eu , o OP nunca existiu e nunca existirá , esse post é um delírio coletivo.
Quem não conhecer a minha waifu olha a minha foto de perfil e vocês vão ver como ela é fofa e bonita.
submitted by Zaruvado to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.23 17:40 Vitor_Lenon Sou babaca por me apaixonar pela namorada do meu melhor amigo e fazer eles terminarem ?

Ola Luba, editores, bonecos de papelão e seus restos mortais, possivel convidado (ninguém quer visitar o Luba além do Jean ) e turma que está a ver.
Minha historia meses depos de terminar um namoro com minha primeira namorada que durou 3 anos, depos 5 ou 6 meses eu continuava mal e perdido, não sabia oque fazer, até que meu melhor amigo (irei chama-lo de Cristofe) não gostando de me ver nessa situação diz que vai me apresentar a irmã da namorada dele, ela tinha acabado de sair de um relacionamento abusivo e achava que nós dois poderiamos dá certo, e que assim ele não precisaria ir na casa de sua namorada sozinho ja que lá era um lugar bastante perigoso e diz minha " namorada se chama Ja... e a irmã se chama Je..." (infelizmente tenho déficit de atenção e ambos os nomes na minha cabeça eram bastante parecidos), e também me disse que ambas faziam um curso na mesma sala que eu, depôs dele insistir bastante eu aceito.
Nota: Cristofe é meu amigo há 6 anos e namorava ela a alguns meses, eles moravam em cidades diferentes então pouco se viam, mesmo dizendo que a amava vivia fazendo piadas de mal gosto sofre algumas "frescuras de sua namorada" e fala coisas tipo de que era doido para ficar com a ex de um amigo nosso e dizendo que ele mesmo tendo amado ela, não deveria se importar por ser ex, e uma hora ou outra ela ia arranjar alguém, que pelo menos fosse um amigo.
No outro dia chegando no curso, sou recebido por uma garota que se apresenta como Je, ela era uma menina que falava muito, gostava de festas e sair para... e diz que ja tinha ouvido falar de mim pelo Cristofé e que ja estava esperando, em seguida ela me apresenta sua irmã, a Ja, Ja era quase oposto de Je, era tímida, não era de muitas palavras e prestava atenção em todas as aulas, como não lembrava quem era quem, deduzi que Je seria a namorada do meu amigo e Ja seria a garota que eu deveria conhecer, para completar, Je me disse que Ja tinha saído de um relacionamento complicado e o ex dela foi babaca.
Então após fazer amizade com Je, fui sentar ao lado de Ja, me apresentei e disse que queria ser seu amigo, ela então me olha com um olhar triste, pega os fones e me ignora, eu preocupado ao ver ela triste resolvo soltar piadas no ar, falando coisas engraças a pessoas perto dela para que ela ouvisse, mas simplesmente sou ignorado, até que ela retira os fones, me olha e diz "você não vai copiar?" Nesse momento havia desisto e resolvi ser sincero e disse "desculpa, comecei a fazer graças e contar piadas pq você parecia triste e eu queria te animar, queria me aproximar de você, quem sabe seu amigo mas entendo que quer ficar sozinha, irei lhe deixar em paz e estudar em outro canto da sala" então quando ia me levantar, ela segura meu braço e diz "Fica" me conta os motivos de sua tristeza e disse que não era feliz (também revela que os fones nem prestavam e que minhas piadas eram péssimas mas isso não vem ao caso).
Dias e meses se passaram e eu e Ja estavamos cada vez mais próximos, finalmente me sentir com alguém e finalmente ela mostrou quem era de verdade, uma garota alegre, engraçada e muito divertida, fazíamos tudo juntos e as vezes Je vinha junto mas tinha bastante ciúmes de nossa amizade, então meu amigo Cristofe pergunta como estão as coisas, então lhe digo que estou apaixonado e muito feliz, e que pretendia me declarar a ela, e para nós comemorarmos isso resolvemos marca uma pizza, me resolvo me arrumar, vestir minha melhor roupa, chegando lá os 3 estão me esperando sentandos em uma mesa, então, Cristofe se levanta e me apresenta JA como sua namorada e me revela que JE é a irmã, ele sem saber da confusão que eu fiz de nomes, diz que eu tenho algo a dizer para JE, então acabo me declarando a ela, com palavras que só a Ja entendia, o fiz e Je, talvez confusa ou por carência, simplesmente aceito, e passei aquela terrível noite com a irmã da menina que eu amava, e vendo a mesma beijando meu melhor amigo.
Algumas semanas se passam e sou apresentado como namorado de Je em sua casa, e começo a frequentar a mesma ao lado de Cristofe, mesmo ficando com Je, Ja e eu sempre nos isolavamos de Cristofe e Je para conversar e rir de nossas piadas bestas, Je talvez percebendo tudo oque está acontecendo manda eu me afastar de Ja apartir de agora, dizendo que ela não ia precisar de minha amizade e se aproximaria mais de Cristofe, e eu apenas estava atrapalhando, Ja ouve isso e me pede para não a deixar, sem saber oque fazer e confuso, eu me levanto e vou embora, Ja me acompanha, neste momento Je diz que se eu não fizer oque ela manda, vai está tudo acabado entre a gente, e que ela pagaria um de meus amigos para me deixar mal, eu digo que poderia fazer o mesmo e ela diz "Ja é minha única amiga, ela NUNCA trocaria o Cristofe por você" após ouvir isso, sem hesitar vou embora, me sentindo no fundo, caindo na realidade que meu amor por nada mais era que uma besteira, resolvo fazer algo que nunca havia feito antes, beber, com meio copo, Já estava tonto, resolvo me deitar.
Após me deitar tive a brilhante idéia de "Já que nunca vou ficar com a Ja e guardar isso só para mim está me matando, serei honesto com ela e me afastarei" mando a seguinte mensagem "Ja...não sei como lhe explicar, porém oque sinto por você não para controlar, eu te amo Ja... e sei que isso é um amor proibido ja que você namora meu melhor amigo, me perdoe, mas não quero ser uma pedra no caminho de sua felicidade, obrigado por tudo, adeus", Ja não costumava responder rápido, mas nesta noite por algum motivo ela viu, e disse "eu te amo, eu nunca senti nada pelo Cristofe, apenas aceitei namorar ele pq ele me pediu na frente de toda a minha família, e como nossas familias são muito amigas e por medo de decepcionar meus pais, eu resolvi aceitar, mas não sou feliz" eu sem entender direito tudo oque tava acontecendo, fico surpreso, mas digo que não poderiamos ficar, pois eu odeio traição, e namorar seria difícil, pq o pai dela me odeia e ja havia me ameaçado por deixar a Je além de amar o Cristofe, ele me vendo com a Ja só faria o ódio dele aumentar, então mostrando como séria impossível ficarmos juntos, digo para ela buscar a felicidade e oque a fizesse feliz, paramos de nos falar por um tempo e Cristofe vêm falar comigo muito triste, dizendo que Ja havia terminado o namoro, e que não era feliz, na hora me senti culpado, mas feliz por minha amiga.
Cristofe então me pede conselhos, qualquer coisa para ajudar a reconquistar Ja, então com uma enorme dor no peito eu digo "me desculpa, eu amo a Ja, não poderia ter ajudar" Cristofe então triste e surpreso me pergunta se eu ja havia ficado com Ja, e eu digo que não, depôs ele me pergunta se a felicidade dela fosse eu, se eu aceitaria ficar com ela, então eu lembro do que ele dizia a nosso amigo e digo "sim, você nem deveria se importa, ela é sua ex, e se ela for ficar com alguém melhor um amigo, certo ?" Cristofe então apenas ri e diz "ok, vamos da um tempo em nossa amizade, ambos a amamos então aquele que ela escolher para faze-la feliz e ficar com ela, o outro deve se afastar e não sair mais como o casal" mesmo por dentro que por fora eu dizia que ja havia desistido, por fora ainda havia esperança.
Alguns meses sem falar com Ja, sua irmã Je me chama até sua casa, para me apresentar seu namorado, um outro amigo meu que ela havia dito que namoraria e disse que eles eram um casal muito feliz, eu lhes dou parabéns e eles se convidam a ir a minha casa, e Ja é obrigada a ir por seus pais para reparar Je, então deixamos o casal ir na frente e Ja me trata friamente, ignorando e me deixando falar sozinho, chegando em casa, o "casal feliz" tem uma briga feia e pedem privacidade do quarto para eu e Ja, vamos para frente de casa e ela fala que ódio o fato que eu me afastei dela, começamos a nós falar denovo, até que falamos de pessoas que gostamos no passado e que nunca fizemos nada, então eu digo para ela tentar com alguém que a fizesse bem, ela coloca uma música, fecha meus olhos e me beija, depôs disso, eu e Ja começamos a ficar escondido. Se quiser saber oque acontece quando e Je descobre com o final em prints ai já é outra historia.
Eu sou babaca ?
submitted by Vitor_Lenon to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.20 23:57 bugleader Sem trollagem, falando sério quem tempos para 2022?

Para marcar melhor vou editar aqui, com as informações que venham a surgir nos comentários, assim temos uma atualização: ultima atualização: 21/05/2020 as 15 horas.
Não preciso nem comentar a situação atual, mas vamos pensar um pouco no futuro, existe algum nome que valha a pena como candidato? Estou perguntando, por que os nomes que estão aparecendo no momento são:
Ciro Gomes, não, obrigado.
Lula, naum...
É claro tem uns loucos ainda falando em Bolsonaro, (queria rir, mas não consigo evitar o choro).
Collor, do jeito que está até prefiro ele... mas só em ultimo caso.
a múie do PSOL, hum... talvez tenha que olhar mais as propostas dela, vi rapidamente que a Forbes em 2005 tinha a escolhido como a mulher mais influente na politica e a Isto é Gente como a personalidade do ano no mesmo periodo... talvez?
Luciano Huck (...), não vou falar nada, pois a minha mente só consegue pensar em piadas como ministério da lata velha, alguém tem algo a favor pra ele?
Fernando Haddad novamente... sei que não deveria levar em conta o partido, mas vejo meio desgastado, em outro partido, talvez.
João Doria, realmente não estou nem um pouco a fim do PSDB, já chega no meu estado a mais de 20 anos.
Vi um tal de Randolfe Rodrigues, mas não sei nada dele, então por enquanto fica como suplente pra escolha.
O Amoedo acho neo-liberal de mais, quer fazer igual nos eua sem ter um salario nem legislação compativel, só veria os de baixo afundando e os de cima subindo.
Marcelo Freixo entra como desconhecido como o Randolfe.
Guilherme Boulos idem
Flávio Dino não é mais radical de esquerda? Neste caso não me parece uma boa ideia.
Eymael, só penso na musiquinha quando falam dele, preciso ver se te algo a dizer...
Paulo Hartung... aff
Ronaldo Caiado parece que o unico ponto bom - além de ser governador de Goias - foi ter batido de frente com o Bolso e falado pro povo ficar em casa, alguém de Goias pra falar dele? Edit: como apontado por squiercg ele tem diversas contróversias e diversos processos abertos, acusações de agressão e de ligações com diversos esquemas de corrupção, vai para os não para mim.
Eduardo Moreira Edit:21/05/2020 Acrescentado por indicação de squiercg dei uma pesquisa rapida, parece estar bem conhecido entre alguns grupos, mas em parte alguma indicam-no como provavel pré candidato indicado como empresário, economista, engenheiro, entre outros titulos, tem um canal no youtube e parece estar atualmente ser também considerado um porta-foz dos sem terra, parece ser um nome interessante, mas o problema ele conseguiria ter projeção suficiente como candidato?
Rodrigo Maia presidente da câmara dos deputados, é politico, tanto que não passou os pedidos de contra o bolso por saber que não devem conseguir. Fora isto, não tenho muito sobre ele.
Rui Costa do PT, mesmo problema que o Haddad, sim eu sei que não é muito certo isto, mas é o que eu sinto no momento.
Moro, gente, apesar de sua face anti-corrupção (pelo menos dos inimigos) eu sinto cada vez menos confiança nele, talvez como o Collor em último caso...
Flavio Dino, entra no mesmo do Haddad e Rui Costa, PT (e sim sei, etc...)
Witzel... witzel... alguém, do Rio me da uma visão que vocês tem dele? No primeiro momento não vou considerar nem positivo, nem negativo.
Tem um povo falando em Cabo Daciolo, mas até onde eu vi, ele não tem projeção pra ser candidato, e é mais provavel que saia para a prefeitura do Rio.
Mandetta, outro que só tem destaque por brigar contra mito...
Datena, no momento não parece querer tentar presidencia, mas sim a prefeitura de São Paulo
Roberto Justus... bem pelo menos seria interessante quando estivesse demitindo ministro...
Algum outro nome para a lista?

e para relaxar, uma música que serve bem de tema para o hoje... https://www.youtube.com/watch?v=33-bMTOlvx0
submitted by bugleader to brasil [link] [comments]


2020.05.19 07:09 GabrielCy54 Aproveitando as últimas 24 horas antes dos 17

Olá Reddit, esse é o meu primeiro post oficial no Reddit (sem contar os comentários nos posts de outros users) e bem, normalmente eu prepararia algo no bloco de notas antes de postar qualquer merda, mas decidi fazer um "freestyle" do desabafo, ou seja, preparem-se para muita merda...
Bem, amanhã, dia 20 de maio de 2020, farei meus 17 anos, e como estou em quarentena, tenho muito tempo para bostejar sobre a minha vida, e tbm tenho tristezas para desabafar com alguém, por isso a proposta do sub é muito interessante, enfim, comentário aleatório, mesmo assim, a ideia de desabafar coisas tão pessoais para estranhos na internet é algo assustador para mim, principalmente agora q estou pesquisando bastante sobre privacidade e criptografia.
Eu n gosto muito dos rumos q a minha vida têm levado, no 3° ano do fundamental eu era uma criança isolada e já estava tendo meus primeiros contatos com a solidão, tenho até uma professora q disse pros meus pais q eu tinha umas brincadeiras estranhas pq eu brincava sozinho no recreio... no 4° ano eu conheci um amigo q futuramente iria mostrar ser um merdinha q apenas me tolerava perto dele, mas acho q isso deve ser abordado em outro post.
Sempre fui bastante carente e cresci acreditando q precisava de um amigo para ser feliz, logo, depositava sempre a minha felicidade nos outros e aprendi da pior forma q isso é uma coisa completamente ruim para a saúde mental. Fui aos poucos me destruindo por dentro, chegava da escola e percebia o quanto eu estava sozinho no mundo e q minha existência era algo patético, sei q devo agradecer à Deus, afinal, pelo menos tenho um lar, comida e uma família, mas quando vc tem uma saúde mental completamente fudida, até as coisas mais superficiais acabam se transformando em um problema grave.
Mesmo assim, a solidão e a carência ainda se mantém, e algo q essas pessoas percebem é q, mesmo cercado de pessoas, ainda assim o vazio existe e é assim q eu sinto. Provavelmente a culpa é minha, como sempre, porém eu sou tão inútil q n vejo de forma clara como resolver a merda da minha vida, apenas tento adiar a bomba q está plantada e q uma hora vai estourar. Desde o final de 2017 eu vinha dando sinais de depressão, eu tava levando a vida no tranco e na época eu tinha uma namorada e ela era o meu pilar pra n desabar (lembram da parte de depositar a felicidade nos outros? Então...), aí um dia ela terminou cmg, de início eu tentei levar a vida normalmente, mas aconteceu algo q me fez ver o quão merda eu sou, e aí juntou todos os problemas e o término do namoro e o meu mundo desabou.
17 anos e o meu objetivo ainda é o mesmo: ter sucesso na vida, em todos os sentidos possíveis. Eu cresci em um ambiente onde eu n passava necessidades mas ao mesmo tempo eu n pude ostentar algo, ao contrário das pessoas próximas à mim, e tipo, por eu ser criança e n ter muita noção de pensamento filosófico, eu achava algo muito massa ostentar e q a luxuria era oq eu queria, e n é exatamente isso, mas sim ter sucesso na vida. Tanto financeiramente, quanto socialmente e profissionalmente.
Eu me cobro bastante e sempre quero melhorar a cada dia e ser a melhor versão de mim mesmo, me inspiro em caras fodas como Tesla e Newton q era gênios da ciência, Mark Zuck, Musk e tantos outros bilionários jovens q tiveram sucesso no mundo do empreendedorismo e até mesmo o Aristóteles q foi um puta filósofo q criou novas áreas do conhecimento como a biologia e a economia, sem falar em Jesus Cristo q é até mesmo um exemplo de inspiração para ateus q apreciam os ensinamentos do (na minha crença) filho de Deus.
E tipo, principalmente nessa quarentena, eu vejo o quanto q eu fiquei mais inútil, isso desde 2019 q passei a estudar menos e, mesmo com algumas pessoas dizendo q sou inteligente, ainda assim n acredito e acabo me comparando à outras pessoas e fico com a autoestima lá no chão, bem fundo mesmo.
2018 foi o ano mais produtivo q tive, até pq, por causa da depressão e tals, eu fui ocupar a minha mente com algo e me joguei de cabeça nos estudos, foi muito massa ir pros aulões do colégio e de noite tinha aulas focadas em olimpíadas científicas, estava contente em saber q estava fazendo algo da vida, mas eu ainda n achava q era o suficiente... e aqui no DF temos o "PAS" q é um programa pra facilitar a entrada dos alunos na UnB, é tipo o ENEM só q é divido em 3 fases onde fazemos apenas a prova do ano q estamos fazendo, e o PAS me sobrecarregou tanto q quando terminei a prova, resolvi tirar férias de tudo por 1 semana, só q acabei fazendo merda e agora sou bastante procrastinador, antes eu estudava regurlamente toda madrugada, agora eu tenho poucos momentos onde eu fico empolgado com algo pra estudar, aí depois de uns dias de estudo, eu paro os estudos, enfim, tenho problemas.
Além disso tudo, eu nunca tive facilidade com relacionamentos, algumas barreiras como a timidez eu já venci, mas ainda assim tenho outros problemas, acho melhor tratar disso em um outro post.
Enfim, acho q já escrevi bastante, n espero q este post tenha muita atenção, afinal, outra característica minha é o pessimismo e sempre acredito q o pior vai acontecer, especialmente cmg, e além disso, é de madrugada, n sei se tem muita gente q fica aqui no Reddit de madrugada. Agradeço a quem leu até aqui e se quiser, pode comentar qualquer coisa aí, até mesmo uma ofensa gratuita pra eu rir (sim, eu acho engraçado piada de ofensa gratuita) e bem, é isso... Fiquem com Deus!
Agora irei aproveitar as minhas últimas horas como um garoto de 16 anos com psicológico fudido e q fica vendo shitpost na internet pra esconder as mágoas da vida.
Até a próxima, pessoal!
submitted by GabrielCy54 to desabafos [link] [comments]


2020.05.13 20:09 Whatever0220 #TurmaFeira

A Karen Interesseira e os carros.


Essa história aconteceu antes da crise de Covid-19 no mundo. Na época, eu tinha 15 anos, só para constar. É um tanto longa, mas vamos lá! Ela será dividida em duas partes.

#1 - Primeiro Encontro (Caçada com Falha Completa):

Eu e meu pai estávamos passeando em um dos shoppings aqui de minha cidade, quando eu perguntei se podíamos lanchar. Ele concordou. Fomos ao McDonald's e pedimos dois lanches. O meu, claro, era um "Mac Lanche Feliz", que pra mim era a melhor coisa que aquele estabelecimento poderia oferecer, mesmo eu tendo uma idade avançada.
Ao sairmos da fila, fomos escolher o brinquedo. Minha parte favorita! Ao nos aproximarmos da prateleira, eu vi que o melhor brinquedo só possuía UM único exemplar no restaurante: Um carro do HotWheels novinho em folha! Eu, claro escolhi. Mal sabia eu que esta seria uma das piores escolhas de minha vida...
Fomos pegar o brinquedo, ao mesmo tempo em que outra família se aproximava da área de "desembarque" da comida. Era composta de uma clássica Karen, acompanhada de seus pequenos filhos, que conseguiam ser incrivelmente mais educados e sensatos que a mãe. O mais velho parecia ter em torno de 10 anos, enquanto o mais novo, uns 7 ou 6. Vamos chamá-los de F1 e F2.
F1 viu que eu havia escolhido o brinquedo que ele, coincidentemente, também queria, e sinalizou à Karen. F2 disse que seu irmão mais novo devia se conformar, o que ele já estava fazendo. Mas acho que F2 devia ter dito isso para Karen, pois ela veio como um tornado de fúria pra cima de mim.
Primeiro, tentou me derrubar, para que o pacote caísse e ela o pegasse. Não funcionou, visto que eu estava segurando ele com as duas mãos e eu só cambaleei um pouco.
Em seguida, contornou a praça de alimentação INTEIRA para tentar roubar o objeto enquanto passava por mim. Logo reparamos e desviamos na última hora.
Por fim, ela apelou à segurança do shopping, dizendo que nós havíamos roubado o brinquedo de seu anjinho. Acreditem, os filhos que disseram que ela estava mentindo.
O golpe de honra, por assim dizer, foi ter, literalmente, partido pra cima de nós, quando estávamos nas escadas. Ela nos empurrou e meu pai quase caiu de uma altura de 15 metros! Nós chamamos a segurança e ela foi expulsa do shopping.
Por um momento, pensamos que estávamos livres de sua fúria. Pelo contrário. A merda ainda viria a acontecer.

#2 - Segundo Encontro (Como NÃO ser uma interesseira):

Eu não citei isso, mas um primo meu é dono de um pequeno canal do YouTube que faz diversos tipos de pegadinhas. Uma delas tem como base expôr interesseiras/interesseiros. Por exemplo: você inicia um papo e ela/ele te rejeita dando desculpas esfarrapadas. Aí você vai em direção ao seu carro, que geralmente é um modelo exótico (Ferraris ou McLarens) e as pessoas mudam de ideia e vão atrás de você.
Enfim, este meu primo tem uma Ferrari Portofino Azul. Uma pérola do automobilismo, se me permitem dizer...
Ele já a usou em outros quatro vídeos. Todos tendo um final mais inesperado que o outro. Em um destes vídeos, a pessoa simplesmente subiu em cima do veículo e começou a chutar o para-brisa. Ele precisou pagar uns R$ 4.000,00 pelo conserto. (Quando se tem um "super carro", sempre te cobram mais...)
No dia em que ele foi fazer este vídeo, uma semana após o ocorrido, o cara acabou me convidando (Muito Obrigado!). Eu, claro, aceitei. Fomos ao local escolhido: O estacionamento do mesmo shopping daquele incidente do McDonald's.
Ao chegarmos, estacionamos o veículo atrás de um muro, nos vestimos com roupas mais simples e esperamos alguém se aproximar. Se eu disser que foi logo a Karen quem desceu a rampa para o estacionamento, vocês não acreditariam...mas foi!
Eu logo vi aquilo como o momento perfeito para aplicar o carma. Eu me aproximei e se iniciou o seguinte diálogo:

Eu - Oi, você poderia me emprestar o seu telefone para que eu possa ligar para um amigo?
Karen - Eu conheço você...é o garoto do McDonald'S!!
Eu - Sim, sou eu.
Karen - Rá! Deve ser por isso que você não quis me dar o brinquedo. Você é pobre!
Eu - Bom, eu...
Karen - Há, há, há! Que piada, não?
Eu - Se eu fosse você, não celebrava antes do triunfo...
Karen - Faz-me rir! Como pode falar que eu não ganhei em cima de você? Vá embora logo!

Eu esperei ela dizer isso para sacar meu celular e fazer uma ligação.

Eu - Alô, ~insira o nome do primo~?
Primo - Fala, mano! Onde você tá?
Eu - Tava tentando falar com você! E aí conseguiu pegar o carro?

Nessa hora, a Karen olha pra mim.

Primo - Sim! A Ferrari ficou uma beleza! Já vou te buscar!
Eu - Certo. Tchau!

E desligo o telefone. A Karen olha para mim surpresa e perplexa. "Deve ser um blefe", ela devia estar pensando isso, porque simplesmente chegou em mim e disse:

Karen - Pode mentir o quanto quiser, sua pobreza não vai largar do seu pé. Você não pode fugir do que é seu de origem...

Eu fiz uma cara de perplexo, mas interiormente estava gargalhando.

Eu - Espere e veja...

Cinco minutos depois, o carro chegou. Meu primo gritou:

Primo - ~Eu~, vem logo! Vamos nos atrasar pra festa do governador!

Isso, claramente, era uma mentira, pra deixar a Karen surpresa. Meu primo arremessou um blazer e uma calça, ambos daquele estilo com glitter em cima, para dar um "brilho extra". Piada infame...
A Karen ficou perplexa. De uma hora para outra, quis pedir desculpas e etc.:

Karen - Olha, eu...bem...eu acho que eu fui um pouco grossa com você...poderíamos nos reencontrar e nos entender melhor...(Risos sensuais)

Nisso, ela simplesmente abriu dois dos cinco botões da camisa, deixando à mostra seu sutiã e parte de seus seios. Ela basicamente tentou me seduzir pra que eu a perdoasse e a convidasse para sair.

Eu - Olha, vou lhe propor um acordo. Você quer um carro esportivo, como este no qual eu estou?
Karen - Sim! Pode ser um Lamborghini?

Nisso, eu puxei o carro de brinquedo que quase foi roubado e que por pouco poderia ter matado meu pai e o dei à Karen:

Eu - Tome. Agora você pode ter um super carro...de brinquedo!

Nisso, meu primo acelerou e fomos embora. A Karen ficou estática e com uma cara de merda estampada no rosto.
Bom, por hoje é isso! Em breve, estarei postando mais histórias sobre Pais e Mães Intitulados e seus pequenos diabinhos!
Fui!
submitted by Whatever0220 to u/Whatever0220 [link] [comments]


2020.03.15 03:40 SantRuan Humoristas e piadistas de plantão, me ajudem ?

Mano, sério. Qual o segredo do bom humor? Eu passo horas e horas vendo vídeos de stand up e rindo pra kct aqui em casa, mas raramente cogito em fazer uma piada ou tentar ser engraçado.
Eu tenho um tio que, em quesito de bom humor, sempre me deu inveja. Pqp, o cara consegue tirar o sorriso de qualquer um e ele nem é um expert no assunto, ele só sabe contar boas piadas. Agora eu ? Pqp. Não que eu não já tenha feito alguém rir nem nada, mas eu não se eu parar pra tentar ser engraçado, não consigo.
Eu queria uma ajuda de vocês que sabem fazer graça, porque eu queria tentar fazer as pessoas da minha casa um pouquinho mais felizes. O pessoal daqui tá bem pra baixo por diversos motivos faz tempo e essa ideia me surgiu.
Então, como é que eu aprendo o básico para fazer um storytelling humorístico.
submitted by SantRuan to brasil [link] [comments]


2020.01.07 00:38 Enkacomfarinha Mesmo esquema das aleatoriedades estudando o etnocentrismo prepotente

Uma vez vi um texto (um pouco patético, por sinal) de um americano (tinha que for, putz) reclamando de estrangeiros que tiram sarro de um americano que não sabe outro idioma.
Ok, tem um ponto em que concordo, não saber idiomas estrangeiros não deveria ser motivo de piada. Isso é fato. Mas alguns pontos que o texto não abordou, mas que é fundamental pra esse choro significar algo (e que foi felizmente abordado nos comentários), é que:
Primeiro, se você não entende outro idioma E NEM se esforça pra aprender, e mais ainda, espera sentado que os outros aprendam seu idioma, então sim, merece ser zoado sim. E não, você não é a vítima da xenofobia, pelo contrário.
Segundo, é pura hipocrisia reclamar de gringo "exigindo" que você conheça o idioma e a cultura deles e te desdenhando se não o faz quando você é parte de um puta país que acha ridículo algum gringo não entender piadas de walmart ou alguma referência nacional mas jura, por exemplo, que brasileiro fala espanhol (ou que "brasileiro" é um idioma) ou que iraniano fala árabe.
Terceiro, acham que é cruel e arrogante rir de você que só fala inglês? Mas, então, e quando você mesmo zoa um estrangeiro com sotaque que está se esforçando pra entender um idioma que não é dele ou acha ele estúpido e ignorante por não entender uma gíria? Ou mais ainda, um turista cujo compromisso dele com o idioma se resume à alguns dias? Ou pior ainda, quando você é o gringo e espera que todos, incluindo aquele garçon mal pago que não pode frequentar curso de inglês que vale praticamente todo o salário dele por mês ou o vendedor de artesanato na barraca, na feira ou na esquina que mal consegue pagar as contas, todos, absolutamente todos você espera que falem fluentemente seu idioma e ainda faz piada do sotaque dos que tentam te atender. Ah, mas isso é só quando você é o gringo, quando você é o nativo, o inglês ruim deles é hilário e a mania terrível deles de terem o próprio idioma é uma ofensa, um ato xenofóbico indefensável. Bem, o mesmo se vocês forem o gringo ou se forem o nativo. Em qualquer caso, não falar inglês é uma piada e uma ofensa pra vocês.
Pela puta que pariu, vários americanos não conseguem nem sequer ver filme legendado, precisa fazer remake, com atores brancos e relocalizando nos EUA se não for no máximo europeu (e europeu com limites, que seja um país "turístico") Veronika que o diga, Paulo Coelho escreveu um puta capítulo sobre a Iugoslávia que era bastante relevante pra pensar sobre o suicídio dela (diferente do clássico e perigosamente mal abordado caso do personagem que tem um problema pontual e bem específico, como se dissesse "olha, ele tem um motivo claro e óbvio", como se fossem os únicos casos possíveis e "admitíveis"). Então fazem uma readaptação em filme, e a Veronika é novaiorquina. Ironicamente, pelo mesmo motivo abordado na carta dela, pessoas que se perguntam "Iugoslávia é um país?", então vêm os diretores e se perguntam, "Iugoslávia é um país?", ou na melhor das hipóteses, simplesmente descartaram um dos melhores trechos do livro sob a desculpa de não ferir a sensibilidade americana que se perguntaria "o que é uma iugoslávia?"
Mas, ok, voltando ao "ninguém é obrigado a ser bilíngue ou poliglota", estou descartando casos de pessoas que só falam um idioma porque não tiveram a OPORTUNIDADE de aprender. Escola de idiomas é caro em muitos países (e em vários casos, simplesmente inexistente) e quase sempre a aula de idioma estrangeiro obrigatória da educação básica deixa muito a desejar. Mas agora, se você tem acesso e tem condições, mas simplesmente não se dá ao trabalho, aí não tem direito nenhum de reclamar da "arrogância de um estrangeiro poliglota".
Bem, finalizando, agora vem a parte em que alguém nem sequer lê o texto mas se dá ao trabalho de dizer que deveriam me deportar ou ironicamente (principalmente nesse texto) dizer da forma mais ridículo possível se eu não sei inglês ou que meu teclado está quebrado, coisas do tipo, como se eu tivesse algum retardo ou como se outros idiomas fossem errados pelo simples fato de existirem.
submitted by Enkacomfarinha to rant [link] [comments]


2019.12.12 01:19 didiramone Opinião impopular que renderá downvotes abaixo, mas se você não conseguir fazer uma reflexão baseado em uma crítica, você deveria morar num curral.

Uma das coisas mais imbecis dos conservadores radicais (principalmente aqueles que seguem cegamente o Bolsonaro) é achar que arte e cultura são coisas de esquerdistas e maconheiros.
Essas pessoas acham que se pode manter a ordem e os bons costumes passando leis e fiscalizando a população, mas há dezenas de exemplos que comprovam que a repressão quase nunca funciona.
Vou dar dois exemplos: racismo e homofobia.
As duas coisas são crime no BR mas a primeira é consenso entre todos os cidadãos de bem. Se você vir alguém ofendendo um negro pela sua cor, dificilmente vai apoiar, rir ou ficar indiferente. No entanto, com o homofobia é completamente diferente. Passaram uma lei que não é consenso entre a população e simplesmente ninguém tem medo dela. É normal um sujeito dar uma porrada num gay se receber uma cantada, piadas são comuns, há movimentos abertsmente anti gays, e mais um milhão de exemplos que vocês conhecem bem.
Vocês já se perguntaram por que as pessoas compraram a ideia de que racismo é ruim e homofobia não?
Pois eu tenho um palpite:
Arte e cultura.
Quantas músicas, filmes, séries, novelas pinturas e caralho a quatro você viu sobre racismo a vida inteira?
Faço a mesma pergunta sobre homofobia.
Se lembram da polêmica do beijo gay na globo? Somente nos últimos anos temos visto personagens de fato gays assumidos em séries americanas e filmes, mas poucas pessoas têm acesso a esse conteúdo. Canais populares como música (rap) e novelas, não falam sobre esse assunto.
Mas por que a arte é eficiente em mudar a percepção das pessoas?
Por dois motivos. Ela te mostra o mundo sob a ótica de uma pessoa que vive numa realidade diferente da sua e faz isso te emocionando.
A soma de se ver na pele de um escravo e sentir a tristeza, impotência e injustiça que eles passaram despertou a empatia em você, a ponto de perceber que o racismo é cruel. Mas você não passou por esse processo com a realidade de travestis, por exemplo.
Bom, antes de você vir me chamar de lacrado esquerdista, quero concluir meu texto com o motivo original que me levou a escrevê-lo.
Por que é consenso geral (salvo exceções, é claro) que o nazismo é ruim mas não se tem a mesma percepção de socialismo?
Já pararam pra pensar nisso?
A resposta que se dá é doutrinação das escolas mas eu simplesmente não acredito.
Vejam só. Quantos filmes e séries vocês já viram ao longo da vida denunciando os horrores do nazismo? Todo ano sai um.
E sobre o socialismo? Quantos filmes, séries, peças de teatro ou músicas condenando o ocorrido de fato existem?
Honestamente, bicho. Eu não me lembro de nenhum. Então, como é que você vai pegar um estudante de história e fazer com que ele se coloque no lugar de um habitante de regime socialista? E se ele não fizer isso, como é que ele vai mudar sua percepção de regimes totalitários são cruéis?
Deixo essa resposta pra vocês.
Fuop.
submitted by didiramone to brasilivre [link] [comments]


2019.12.05 23:31 J4dex Os serviços públicos e de emergência neste país são uma autêntica piada

Em Maio de 2017 vim viver com o meu pai e na altura a minha avó disse-me que ele não tinha andado bem da cabeça. Tinha sido internado num hospital psiquiátrico no qual foi diagnosticado com esquizofrenia. Depois disso recebeu uma ordem de tribunal que o obrigava a ir tomar uma injecção uma vez por mês, ordem essa que ele cumpriu até ao verão deste ano.
Para finais de Setembro ele voltou a demonstrar os sintomas da doença mental. Já não ia trabalhar, andava pelos cantos a falar sozinho e a fumar ganzas e até meteu no lixo várias mobílias e objectos para "purificar" a casa. Um tio meu que nem vivia com a gente, com um simples telefonema à polícia, conseguiu com que os agentes viessem a casa o levar até ao hospital tomar a injecção.
Agora desde quarta passada voltou outra vez à esquizofrenia. Não tem ido tomar a injecção e, mais uma vez, o hospital não faz o seu trabalho de informar as autoridades para o virem buscar. Desta vez ainda está pior do que em Setembro.
Tem ido trabalhar mas tirando isso é um horror, especialmente as conversas com as vozes na 3ª pessoa. Dia e noite a falar de merdas, a se rir sozinho e a estrelar os dedos. Um dos temas mais recorrentes é a morte e os assassínios, incluindo o meu. Ele mal come e mal dorme para estar a para ali a falar.
Sábado acordou-me de madrugada a pregar sobre enfiar duas balas na cabeça de não sei quem. Decidi ligar à linha de apoio de saúde para que um profissional me possa aconselhar a lidar com um gajo neste estado. A única coisa que o enfermeiro na linha fez foi gastar meia hora do meu tempo a descrever os sintomas para depois no fim dizer que ninguém podia fazer nada e que a única coisa que podia fazer era tentar falar com ele. Tentei falar e ele mandou-me para o caralho e continuou a falar sozinho.
Ontem decidi ligar a polícia para ver se eles ajudavam, disseram que não podiam fazer nada sem uma ordem de condução e que para obter uma tinha que ir falar com o delegado de saúde. O delegado recusava-se a falar comigo por telefone e fechava as 4 por isso mais uma noite a não dormir quase nada com um olho aberto e a navalha debaixo da almofada.
Hoje finalmente consegui falar com o médico do delegado. Ele disse que ia emitir uma ordem de condução e que a polícia iria entrar em contacto comigo para combinar a melhor altura para o vir buscar. Depois o que acontece é que os tansos apareceram para o vir buscar sem dizer nada as 2 enquanto ele estava no trabalho. E depois nunca mais disseram nada.
Ele veio do trabalho às 4 e começou a agir de forma agressiva, a bater com as portas e gavetas e a andar depressa. Por volta das 8 decidi ligar à polícia para saber como era e eles disseram que não sabiam de ordem de condução nenhuma e que não podiam ir a casa das pessoas pegar nelas assim. Perguntei-lhe o que fazer então e ele disse para ligar ao 112 e chamar uma ambulância que o levaria para o hospital.
Chamo a ambulância e é mais do mesmo, não o podem obrigar a fazer nada a não ser que ele esteja a partir coisas ou a magoar alguém. Que eu a dizer que ele esta num estado em que é um perigo para os outros e que precisa de ser internado é "prever o futuro" e que se penso que estou em perigo para chamar a polícia.
Que fique de exemplo para se alguma vez tiverem numa situação de crise do género. Metade das vezes depois de fodidos ninguém vos ajuda. Simplesmente dizem "o problema não é meu" e passam para outro serviço. Nem é a 1ª nem a 2ª vez que sou vítima desse sistema de porra mas o post já é longo o suficiente. Enfim, uma autêntica piada.
submitted by J4dex to portugal [link] [comments]


2019.11.02 17:56 Zelouch Conhecer pessoas novas

Eu sou uma pessoa que tem um grau elevado de ansiedade. É fato que já foi muito pior no passado. Antigamente eu não conseguia conversar sequer com pessoas da minha família e amigos próximos. Desde que eu entrei na faculdade e consegui um emprego, consegui desenvolver um pouco melhor esse problema, já que eu passo quase que o dia inteiro do lado de pessoas. Atualmente eu já consigo rir mais, fazer piadas e ser eu mesmo com as pessoas mais próximas de mim.
O real problema é que eu tenho uma dificuldade absurda em conhecer pessoas novas. As vezes eu fico me perguntando como é que eu conheci os amigos que tenho. Acho que nossa estranheza acabou atraindo uns aos outros. Eu simplesmente não sei como puxar conversa com uma pessoa desconhecida, e muito menos como manter uma por um longo período de tempo. A verdade é que as famosas ''small talks'' me deixam meio entendiado e eu acabo perdendo o foco da conversa, o que me atrapalha mais ainda.
Gostaria de saber se alguém tem algum conselho de como melhorar nesse aspecto. Como que vocês puxam conversa com alguém que não conhecem ? Como é possível manter a conversa viva por tanto tempo ?
Embora eu tenha meus amigos, eu não aguento mais me sentir tão solitário e até dependente da amizade deles.
submitted by Zelouch to desabafos [link] [comments]


2019.10.21 15:48 readyfortheplague Só Meu !

o que é meu é só meu
o beijo que você negou
mas deixa pra lá
isso não faz diferença
qualquer um pode fazer isso
é só sentar na moto e ir embora e sei lá !
comer uns mosquitos
rir de uma piada sem graça
sobre números fadados ao mais ou menos
e em teoria é só isso !
como vem parar aqui
quase sempre é uma necessidade
e responsabilidade todo mundo sabe que tem
a questão é a dedicação pra cumprí las
ah ! vai ! aquela do cachorro e da gasolina é ótima
mas eu não sou nenhum dos dois
não sou o protagonista dessa história
sou aquele ser patético esperando a morte corroborar com seu manto e esperar pra virar osso !
mas é só meu !
isso aqui ninguém tira !
e o seu amor verdadeiro um dia aparece !
aparece ! e parece com a pior cautela de todas
olha só !
eu que não sei de nada
tentando argumentar com alguém
mas acho que não vai dar certo !
o que vai pro chão e não levanta não é folha é lama !
lembre se disso !
submitted by readyfortheplague to u/readyfortheplague [link] [comments]


2019.09.15 19:11 YareYareDaze007 Minha "breve" história amorosa

Essa História que será aqui contada, nesse livro, é a jornada de um garoto chamado Giovane, um garoto quieto, de poucos amigos, porém muito estudioso, sempre tirava boas notas na escola. E é exatamente lá que nossa história começa.
No ano de 2017, nosso protagonista está sentado tranquilamente em sua mesa, na sala de aula, quando repentinamente ao olhar de relance para a porta, ele percebe alguém entrando, mais especificamente uma garota, uma linda garota, que instantaneamente desperta o encanto de Giovane. Vale lembrar que naquela época, ele era um garoto de 13 anos, sem nenhuma preocupação além de vídeo-games e estudos, mas tudo aquilo estava prestes a mudar. Naquele momento, ele havia descoberto o amor, que muitas vezes pode ser comparado à uma benção ou maldição. Ao ver a garota de nome desconhecido entrar, Giovane logo ficou surpreso com tamanha beleza, porém no momento não fez muita coisa. Apenas voltou aos estudos e tentou não pensar muito naquilo, porém era quase impossível, a cada conta que fazia, a cada texto que lia, a imagem da garota continuava a aparecer em sua cabeça. O que era muito ruim, considerando o fato de Giovane sempre dar muita importância aos estudos, aquilo estava o atrapalhando. Mas logo o nome da garota foi revelado: Sabrina. Giovane ouvira a professora dizer esse nome na chamada e viu a garota responder.
Não demorou muito para ele se dar conta do que havia acontecido. Ele sabia que estava sob o efeito da droga mais poderosa que existe: O Amor. E para o amor não existe cura, apenas o tempo, que foi justamente o que decidiu fazer: dar um tempo e ver o que acontecia. Giovane Não tinha ideia de como os eventos se desenrolariam dali em diante, não sabia o quanto sofreria pensando nela.
Passado algum tempo, cerca de 3 meses, e o amor de Giovane por Sabrina continuava aumentando, como uma fogueira que é atiçada pelo vento. No entanto, uma dúvida ainda pairava sobre sua cabeça: O sentimento era recíproco? Sabrina via Giovane com outros olhos? Ele não sabia, e isso estava o enlouquecendo.
Um mês depois do acontecimento anterior, ele havia pensado em uma maneira de acabar com suas dúvidas, era o único modo que nosso protagonista havia pensado: Falar à Sabrina sobre seus sentimentos. Porém, Giovane era um garoto extremamente tímido, o que deixava essa hipótese quase impossível. Ele tinha medo de contar o que sentia e não ser correspondido, ou ainda pior, ser ridicularizado pelas pessoas ao redor da escola. Chega o fim do ano e Giovane não havia conseguido se declarar. "Meu Deus, mas e se ela não estiver aqui o ano que vem? " Pensava.
2018, início do ano. E para sua surpresa, ele estava na mesma sala que Sabrina. Seria o destino dando uma segunda chance a ele? Talvez. E como dito anteriormente, seu amor não diminuía, apenas crescia dia após dia. Nosso protagonista tem 14 anos agora, muito mais maduro, certo? Errado! Ele continuava com uma ideologia de " deixar o rio fluir ", ou seja, não fazer nada e deixar que o destino cuidasse do resto. Claramente essa tática não deu certo. Porém, Giovane possuía um amigo chamado Marcos, cujo qual se dava muito bem com as mulheres. E fui justamente a ele que Giovane foi pedir ajuda. E acontece que Marcos era realmente bom no que fazia, e milagrosamente conseguiu fazer Sabrina se aproximar consideravelmente de nosso protagonista, que estava pensando sobre a vida e as decisões que havia tomado e aparentemente não interagindo com Sabrina, o que fez Marcos aparecer e talvez ter causado o maior arrependimento da vida de Giovane. Ou não? Marcos chegou conversando com ambos e acabou deliberadamente por falar que Giovane estava apaixonado por Sabrina, o que deixou nosso protagonista completamente paralisado, como se tivesse visto um fantasma, sem nada para dizer, como se tivesse visto a morte cara-a-cara. E Sabrina pareceu incrédula do fato, tanto que até se levantou da cadeira na qual estava sentada e estava se dirigindo a seu lugar, quando Marcos a parou e tentou argumentar com ela, mas nada parecia dar certo. Enquanto isso, nosso protagonista continua sentado imóvel na mesma posição que havia começado a conversa. Passados cerca de 3 minutos, Sabrina chega à mesa de Giovane e pergunta:-O que aconteceu?
-Nada. Diz Giovane
-Você está com cara de bravo. Foi alguma coisa que eu fiz?
-Não, não foi nada.
E Sabrina sai daquela mesa e volta para a dela.
A partir daquele dia, Giovane se tornou outra pessoa, alguém completamente novo. Ao invés do garoto alegre e piadista de sempre, ele havia se tornado alguém quase depressivo, não falava quase nada, passava horas parado pensando na vida, não fazia mais tantas piadas. Até o dia 10 de agosto de 2018, quando ele decide que não vale mais a pena sofrer tanto por conta de falta de coragem. Na escola, durante a aula de geografia a lição era fazer um mapa-múndi e foi o que nosso protagonista fez, porém Marcos tinha um plano para ambos ganharem nota apenas com o esforço de Giovane, que aceitou ajudar já que poderia precisar de algum favor de Marcos algum dia. E foi um plano, absurdamente bem bolado, executado com maestria e finalizado com êxito.
Na noite daquele mesmo dia, Giovane decide cobrar a ajuda que ofereceu à marcos. Mandou uma mensagem para ele e combinou que iriam executar um plano para que nosso guerreiro Giovane tivesse a coragem de se declarar à belíssima donzela Sabrina. Marcos a convenceria a segui-lo e passaria por um local combinado, onde Giovane apareceria e abriria seu coração para ela, acabando de uma vez por todas com isso, do jeito bom, que Giovane sairia com uma namorada e se livraria de sua tristeza ou do modo ruim, que era o que Giovane achava mais provável, onde ele seria completamente rejeitado e jogado à depressão para sempre, porém esquecendo de Sabrina. Nada poderia impedir esse plano de funcionar.
Exceto uma coisa: O esquecimento de Marcos que não conseguiu atrair Sabrina até o local combinado, o que fez com que Giovane saísse vagando pela escola envolto em seus pensamentos, e andando sem parar, para praticar pelo menos de alguma maneira, algum exercício, contudo ao fazer a volta na escola várias e várias vezes, no caminho Giovane se deparava com Sabrina andando com uma amiga e seu namorado, e durante algumas dessas vezes ele pôde ouvir claramente a amiga de Sabrina dizer: " quem quer catar a Sabrina? " Duas vezes na mesma hora em que ele estava passando e ainda ouviu mais uma última vez: " Ela está se doando ". Giovane estava começando a ligar os pontos, tudo começava a fazer sentido em sua cabeça. A vontade dele era alterar o curso de sua caminhada e abrir seu coração a ela, porém se fizesse isso, ele estaria desperdiçando um favor de Marcos, então Giovane Simplesmente continuou sua jornada de volta à sala de aula. Ele estava prestes a descobrir o significado de tudo que aconteceu.
No final daquele dia, Giovane decidiu perguntar à marcos se ele havia se esquecido. E de fato ele havia, no entanto se ofereceu para fazer o mesmo plano no dia seguinte. Giovane concordou.
Terça-feira, 14 de agosto de 2018, nosso protagonista vai para a escola apreensivo pensando em como vai ser, no que ele vai dizer..., mas durante a aula de história, nosso herói percebe que Sabrina estava muito impressionada com o professor novo. Estaria ela realmente afim do professor? Ou seria apenas uma brincadeira? Ele não sabia e isso o deixava apreensivo. Na próxima aula, a de matemática, a professora havia mudado Sabrina de lugar. E coincidentemente, o lugar que ela foi designada era bem perto do lugar de Giovane. Seria esse o destino colaborando mais uma vez para que tudo desse certo em sua vida?
No recreio, tudo estava combinado com Marcos. Só lhe restava sair da sala e seguir com o plano. Acontece que um amigo de nosso protagonista, conhecido pelo codinome Sem Mão, decidiu segui-lo e ver o que aconteceria e como acabaria. Giovane conta o plano à Sem Mão, que fica impressionado e diz que aquele plano era como fazer roleta russa com 5 balas. No entanto, Marcos demorou muito para fazer o plano e quando fez, não fez corretamente: Ele simplesmente disse para Sabrina que Giovane gostaria de conversar separadamente com ela, enquanto nosso protagonista apenas passava por ela e ia direto ao banheiro, pois estava muito tenso. Acaba o intervalo e Giovane se dirige à sala de aula. Na última aula, logo em seguida da de educação física, todos voltam para a sala e se preparam para a aula de matemática e provavelmente a coisa mais inesperada desse livro acontece: Ele pensando na vida como sempre, consegue ouvir Sabrina e Vinícius, um outro colega de sala, discutirem sobre voltar ao lugar anterior deles, e de repente ouve ela dizer que aquele lugar era bom porque ela conseguia ter uma boa vista de uma coisa. Instantaneamente nosso protagonista percebeu que essa "coisa" era nada mais nada menos que ele mesmo, até porque em certo momento dessa conversa ele pôde perceber Vinícius responder: Do G? Que foi logo respondido com uma resposta de Sabrina: Por que você não grita logo de uma vez?! Seguido disso, Vinícius em tom de brincadeira, aumenta levemente sua voz e repete a frase anterior. A teoria das cinco balas de Sem Mão acabara de ser refutada, pois com essas informações, suas chances aumentaram consideravelmente, deixando a arma com apenas uma bala. Estava muito claro para Giovane que Sabrina aparentemente gostava dele, mas não queria que isso fosse exposto. Passado certo tempo da aula, mais uma vez Sabrina diz que é um bom lugar e que ela consegue observar muito bem essa "coisa" e foi respondia por Vinícius: Mas do seu lugar anterior, você também consegue ver. E logo veio a resposta: Sim, mas daqui eu consigo ver mais de perto, logo esse lugar é melhor. Ele sabia que, ou se tratava dele ou de algum de seus amigos que sentavam perto, e estava bem convencido de que se tratava dele. Nesse momento, Giovane estava pulando de alegria por dentro, mas por fora só se via sua expressão mais comum: a de indiferença. Ninguém simplesmente olhando, poderia saber a felicidade que residia dentro de Giovane naquele instante. Ele foi para casa se sentindo renovado e feliz, só não voltou saltitando por motivos de masculinidade. O que aconteceria depois?
No dia seguinte, Giovane não foi para a escola. Ele havia ido ao médico, e como o sistema de saúde do Brasil não é dos melhores, não conseguiu voltar a tempo de ir para a escola. Ainda nesse dia, pela primeira vez ele decide tirar seu bigode e por incrível que pareça, se achou mais bonito e se sentiu deveras confiante em sua jornada. Por volta das 18 horas, conversa por mensagens com seu amigo Sem Mão e lhe conta sobre o que havia descoberto ouvindo aquela conversa, e para desanimar um pouco nosso herói, Sem Mão diz que o "G" mencionado na conversa, poderia ser de Gustavo, outro aluno da mesma sala, mas Giovane prefere acreditar que ela se referia a ele. Logo em seguida, começa a conversar com Marcos, que também fica ciente da situação e diz:
- Ela está brincando com você, cara...
- Não, estou tão confiante que apostaria cinco reais que ela não está brincando!
- Cinco reais? Apostado então! Mas para você ganhar, ela tem de deixar explícito que aceita você. Assim como para eu ganhar, ela deve deixar explícito que rejeita você.
- Claro.
Giovane não possuía cinco reais, nem sabia onde conseguir, mas estava confiante.
16 de agosto de 2018, nosso protagonista aparece na escola e diferentemente do último dia, não parecia tão tenso, parecia até mesmo confiante do que iria fazer. Logo Marcos apareceu:
- Está fechada a aposta de hoje?
- Com certeza!
- Você sabe que vai perder, né?
- Certamente que não, estou tão confiante que nem trouxe o dinheiro, como sinal de que sei que não vou falhar! – Cada frase que nosso protagonista falava, era dita com convicção.
- Se está tão confiante assim, suba a aposta para dez reais!
Giovane pensou por alguns segundos. Ele não tinha esse dinheiro em mãos, mas para mostrar confiança à Marcos e a si mesmo, subiu a aposta.
- Feito!
No instante que disse isso, o sorriso malicioso que habitava o rosto de Marcos fora substituído por uma expressão de espanto. Não podia acreditar que nosso herói estava tão confiante. Porém, durante toda essa conversa na aula, Marcos decide contar à professora de ciências sobre a aposta, e para a surpresa de ambos, ela havia achado uma aposta interessante.
15:30, havia chegado a hora do intervalo, a hora da verdade. Quando pôs o pé para fora da sala de aula, soube que duas coisas importantíssimas estavam em jogo: Seu futuro amoroso e dez reais, que podem não parecer muito, mas na época que o país estava... Ele achava que seria fácil, mas estava muito enganado, pois quando estava fazendo o reconhecimento do melhor lugar para a abordagem, pôde sentir sua perna fraquejar. Depois de dar algumas voltas na escola e consequentemente acabar encontrando com Sabrina no caminho, ele havia achado que estava pronto e quando foi procurar seu alvo em movimento, não o encontrou, no entanto, logo descobriu que ela estava sentada, com sua amiga já mencionada anteriormente. Não havia mais escapatória, teria de se declarar na próxima volta e podia sentir seu coração bater cada vez mais forte ao se aproximar do local. Infelizmente, ao chegar e estar preparado, se depara com mais 4 garotas conversando com Sabrina e sua amiga, o que fez nosso herói alterar o curso e ao invés de parar, acabou seguindo sua trajetória comum. Faria na próxima volta, não importava o que acontecesse, porém, ao chegar novamente e ver que só estavam ela e sua amiga sentadas, não conseguiu. Era como se uma força desconhecida o impedisse.
Bate o sinal para todos voltarem para suas salas de aula e nosso protagonista entra e percebe que teria uma aula vaga, e logo seu lamento em não ter conseguido se declarar, se tornou em forças para tentar agora que não haviam tantas pessoas lá fora. E mais uma vez não conseguiu, até que Sem Mão propõe um desafio: reproduzir um desenho de seu amigo Raul, um cara vidrado em desenhar, e Giovane aceita, pois ficar andando e se lamentando não era a melhor atividade. Chegando onde Raul estava, Sem Mão explica o desafio, porém, por algum motivo Raul pega uma folha e corta em duas, dando uma parte para Sem Mão e outra a si mesmo. Giovane não se importa. Na verdade, parecia não se importar com mais nada depois de ter fracassado em conversar com uma garota. Sem Mão reproduz um desenho de um homem com terno roxo e gravata que Raul havia feito. A única diferença, no entanto, foi que sua reprodução ficou parecendo o cruzamento de um desenho de uma criança sem talento com um feto malformado em um pote com formol. Após isso, aparentemente Sem Mão ficou tão entediado quanto nosso protagonista e decidiu voltar a andar, quando de repente veem Marcos e o namorado da amiga de Sabrina tentando tirar a namorada de Marcos e a amiga de Sabrina de um banco no qual estavam todas sentadas. Giovane pensou que poderia ser Marcos querendo ajudá-lo a conseguir, mas qual seria sua motivação além de perder dinheiro? E eles conseguiram tirar as garotas do banco, deixando Sabrina sozinha, que decidiu levantar e começar a andar, mas nosso herói não pensou em abordá-la, simplesmente não tinha a coragem para isso. E acontece que ele era um cara muito corajoso quando se tratavam de brigas e tudo mais (até enfrentou um bando de garotos que estavam o incomodando uma vez), mas quando se tratava de garotas, ele não sabia o que fazer. Depois disso voltou para a sala a tempo de acompanhar as duas últimas aulas de geografia. Contudo, no final da última aula, Marcos veio conversar com nosso herói:
- E aí cara, cadê meus dez reais?
- Eu não falei com ela, logo não tomei um fora, o que significa que eu ainda fico com meu dinheiro.
- Porra, cara. Qual a dificuldade? É só chegar lá e falar " eu estou afim de você, vamos ficar juntos? " E acabou.
- Se fosse tão fácil assim, eu já teria feito há um ano e oito meses atrás...
- Mas é fácil!
- Não para mim. Me falta coragem.
Então Marcos decide tomar uma abordagem mais agressiva.
- Olha lá a bunda dela como é grande! Você não quer ter isso?
Giovane continuava dizendo que não tinha coragem.
- Olha lá, o cara foi dar tchau para ela e passou a mão na bunda dela! E ela ainda deu risada! Você vai deixar o cara fazer isso com sua futura esposa?
O sangue de Giovane fervia, como se ele mesmo fosse explodir a qualquer momento, mas ele era um cara calmo e conseguiu se manter normalmente apenas dizendo " calma e tranquilidade " a si mesmo enquanto Marcos dizia:
- Se amanhã você não conseguir, você vai ter de dizer para todo mundo que você é um merda e eu sou superior!
- Okay, já me considero um merda normalmente...
Mas aquela conversa lhe deu forças para o que ele faria no dia seguinte.
Dia 17 de agosto de 2018, nosso herói está prestes a sair de casa, enquanto seu pai assistia tevê, e de relance, pôde ver a notícia mais bizarra que já havia visto em toda a sua vida: " Homem-Aranha do crime " que aparentemente era um ladrão que escalava prédios tão bem que recebeu esse nome.
Chegando na escola, pronto para fazer um trabalho de artes, acaba descobrindo que haveria outra aula vaga, já que sua professora tinha faltado, o que o deixou feliz e enraivecido. Quando já havia saído da sala e estava andando pela escola, começa a falar com Sem Mão desse livro que está sendo escrito agora mesmo.
- Vai ter muita coisa nesse livro!
- Essa conversa também?
- Provavelmente, já que eu vou colocar qualquer coisa que pareça insignificante o suficiente no lugar de alguma informação que seria crucial, ou seja, essa conversa vai direto para ele.
- Bem, isso não seria meio que...
- Um Inseption muito foda!
- Eu ia dizer quebra da quarta parede, mas Inseption também está valendo.
- Não é bem uma quebra da quarta parede. Eu só estaria fazendo isso se eu dissesse: " Ei, você aí que está lendo esse livro, como é que você está? "
- É, realmente...
Ao andar, se deparava algumas vezes com Sabrina andando com Marcos e outra pessoa não apresentada anteriormente: Kauã. Em algum momento, Marcos tentou parar Giovane o empurrando e lembrando que ele tinha de concluir sua tarefa naquele dia, ou então seria um fracassado.
- Você tem até hoje para conseguir.
- Veja bem, meu amigo, até a meia-noite ainda é hoje.
E essa foi uma sacada bem esperta, tenho que admitir. Enfim, nosso protagonista continuou andando um pouco até que...
- Giovane! Chega aqui! – Disse Marcos aos berros sentado em um local perto de uma árvore.
- Porra... – Disse Giovane.
E foi andando até chegar a ele.
- Que foi, cara? – Perguntou em tom de desânimo.
Eu preciso que você tire uma foto.
" Uma foto? " Pensou Giovane, achando que poderia ter um esquema armado por Marcos.
- Ok, vamos lá!
E foram caminhando em direção à uma outra parte da escola. Quando chegaram, nosso herói se pôs em posição e segurando o celular de Marcos, estava pronto para fotografar. Enquanto olhava para a tela do celular, podia ver Sabrina e sua beleza, ao mesmo tempo que pensava " Caralho, eu sou um merda meu irmão! " E tirou a foto. No entanto, o que não sabia, é que quando já ia se retirando do local, Marcos o chamou e disse:
- Não, cara. A gente só quer que pegue essa parte da parede.
- Ah, ok.
E novamente estava em posição observando Sabrina pela câmera, e logo tirou outra foto. E dessa vez, conseguiu voltar à sua rota sem ser chamado mais uma vez. Andava e andava, sem rumo, sem destino, sem coragem, quando com sua super audição pôde ouvir Sabrina discutindo com Marcos, atrás dele.
Ouvindo isso, ela decide desafiar Marcos para uma briga, e ele logo se acovarda. Como Giovane, ele não tinha coragem. Quanta hipocrisia, não é mesmo, caro leitor? No entanto, ele logo teve uma ideia.
- Vai lá e usa essa raiva no Giovane!
E Giovane continuava andando na frente apenas ouvindo essa conversa, quando foi chamado.
- Giovane! Chega aqui!
E lá ele foi conversar com ele.
- O que foi dessa vez?
- A Sabrina quer te dar um soco.
Mas ela não queria.
- Não, eu não vou! – Disse ela.
- Por que não? – Perguntou Marcos
- Porque eu estou com raiva de você, não dele!
Mas depois dessa breve conversa, Giovane notou um olhar de Sabrina dirigido ao nosso herói. Sabrina realmente teria olhado para ele da forma que imaginava? Ou só estava ficando louco? Descobriria tudo isso em breve...
Dia 18 de agosto de 2018, sábado, por volta das 22:30 da noite Giovane é contatado por Marcos com uma mensagem:
- E aí, cara?
- Opa.
- Tudo beleza, cara?
- Tudo de boa.
- Então, cara... eu acho que você perdeu a aposta.
- Não, pois a aposta não tinha prazo. A única coisa que tinha prazo era eu dizer que sou um merda e a sexta já passou, então você foi enganado...
- Aí é que está, meu amigo quem está se enganando é você mesmo. O único que está sofrendo por amor é você.
- Sim, mas ainda assim, a cada dia minha coragem vai aumentando...
- Não se iluda meu pobre amigo. Esse seu coração não merece sofrer!
- Eu estou apenas contando os fatos.
- Não ame aquela garota, ela não merece você.
- Se fosse tão fácil assim... E você não vai me fazer desistir, porque sou brasileiro e brasileiro não desiste nunca!
- Entendo, apenas não quero que sofra por algo que não tem futuro.
- Eu já sofri para caralho, eu tentar isso não vai aumentar a dor que eu sinto por não estar ao lado dela.
- Você realmente quer isso, não quer?
- Sim, porra!
- Para que você possa ver que eu não estou mentindo. Eu nunca disse isso para você, porém... eu realmente não tenho nada para fazer.
- Etcha porra!
- Sim, essa foi a única palavra que você nunca me ouviu dizer.
- E qual seria? – Perguntou Giovane apenas para ver Marcos admitindo que estava tão perdido quanto ele.
- Eu não sei o que fazer.
- Ca ra lhou.
- Por conta dela, não tem muito o que fazer.
- Isso mostra que é um caso absurdamente difícil.
- Sim, porém não impossível.
- Até porque nada é impossível, exceto o Palmeiras ganhar um Mundial. Isso é impossível.
- Kkk verdade. Como eu já vi que você não vai desistir da Sabrina...
- Certamente que não.
- Eu vou pelo menos tentar ajudar.
- Que bondoso.
- Porém, como nada na vida é perfeito, eu vou usar minhas técnicas...
- Caralho. Tenho trauma dessas técnicas.
- Pode apostar! Até porque, eu aprimorei elas...
- Acho bom mesmo, kkk
- Porém não foi para um lado bom! Foi para um lado mais extremo.
- Puta merda.
- Eu já pensei no que vou fazer. Funciona muito em filmes e novelas.
- Diga-me.
- Vou trancar vocês dois, em algum lugar sozinho.
- Caralho. – Giovane já sabia que aquele plano não iria funcionar, porém decidiu ouvir até o fim.
- Vai ser perfeito. Você vai ver, aí é por sua conta. Na verdade, a parte mais difícil sempre vai ser para você.
- Eu estou com um certo medo do que pode acontecer.
- Ela pode falar tudo que sente por você, ou ela pode ficar de fato com você.
- Ou pode não acontecer nada.
Depois de um tempo de conversa Marcos se convenceu de que seu plano não era dos melhores. Até que disse:
- Eu te ajudo e você me ajuda. Eu te ensino o que sei, e você o que sabe...
- O que exatamente você precisa?
- Eu quero saber como você pensa tanto e quero saber como você é tão concentrado, etc....
- Caralho, sério?
- Sim.
- Ok, aqui vai. Não tem segredo: Você só tem que pensar que sua vida dependesse daquilo. Mas, o lance de ser pensativo, acho que é porque eu não tenho muito o que fazer, apenas pensar.
- Ótimo!
- Espero ter ajudado.
- Ajudou sim, muito obrigado. Agora o que você precisa?
- Fora o lance da Sabrina, nada.
- A melhor opção seria chegar nela em alguma hora em que ela estivesse sozinha ou falar que é uma conversa em particular.
- Sim, o lance é que eu preciso de coragem.
- Quer saber, você transmite confiança. Algo que eu queria muito transmitir.
- Só reprimir suas emoções e mostrar nos momentos mais cruciais.
- Como assim?
- Você nunca sabe se eu estou feliz ou triste, certo?
- Certo.
- Mas as minhas emoções mudam. Tudo que eu faço é mostrar o que eu quero que os outros vejam: A minha cara de indiferença de sempre.
- Porra.
- É basicamente só isso.
- Valeu, cara.
- Você me ajuda muito, estou retribuindo.
- Muito obrigado. Mesmo, cara.
- Não há de quê.
Dia 19 de agosto de 2018, Marcos envia uma mensagem por volta das 21:00 para Giovane:
- Cara, estamos na mesma situação. Eu me apaixonei e ela não dá bola para mim. Fudeu, eu me apaixonei. Isso não é natural no universo.
- Vamos conversar.
- Fudeu.
- Você se fodeu.
- Sim, Fudeu. Eu me apaixonei e isso não é normal da porra da natureza! Eu sou Marcos Ribeiro, não posso me apaixonar!
- Agora sente o que eu sinto há quase dois anos. Não é fácil quando é com você, né?
- Literalmente não. Mano, ela é maravilhosa e não me dá bola. Nem com meus truques e experiência não consigo.
- Você sabe que se eu conseguir ficar com a Sabrina e você não pegar essa mina, o mundo deu uma puta volta.
- Sim.
- Algo de errado não está certo.
- Nem um pouco. Mas, mano ela é perfeita! Pensa na Sabrina e multiplica por 20.
- Impossível!
- Juro.
- Para mim não existe nenhuma garota na face da terra que se compare à beleza da Sabrina. Acho que o amor faz isso...
- Mano, Fudeu. Eu me apaixonei. Pera aí...
- Eu poderia ser muito cuzão e não ajudar, mas você tentou me ajudar, então farei o que puder.
- Pronto. Não sou mais apaixonado.
O amor não é brincadeira de criança, é coisa séria e não se livra do amor tão rapidamente. E Giovane sabia disso, então ou Marcos não estava apaixonado desde o início, ou ainda estava apaixonado ou talvez estivesse inventando tudo aquilo.
- Ata kkk.
- Sério, passou. Eu me controlei.
- O amor vai e vem como uma montanha-russa.
- Não. Não comigo.
E foi então que nosso herói se preparou para fazer um dos melhores discursos de todos os tempos.
- Você pode ter esquecido agora, mas vai pensar nela de novo. E aí fodeu. Mas, se tem uma coisa que eu aprendi é que você tem que insistir...
- Não. Foda-se.
- ... até não ter mais forças. Você não vai esquece-la, apenas aceite o destino. Se você não tentar, alguém vai e você vai ficar muito arrependido. Então você não vai desistir, porra! Logo você, o cara que me incentivou a correr atrás da Sabrina, não pode simplesmente desistir. Essa pode ser a mulher da sua vida, então você teria que ser muito burro para deixar de tentar. E é por isso que você vai correr atrás dela.
Esse foi um puta discurso. Foi tão bom que parece que foi redirecionado a si mesmo e deu forças para ele fazer o que faria amanhã.
Dia 20 de agosto de 2018. O que nosso herói fez? Nada! Até tentaria falar com Sabrina, mas o problema é que não a via. Ficou todo depressivo por passar mais um dia sem conseguir e foi para casa. Chegando lá, sente uma certa fome e decide fazer uma omelete. Uma coisa que deve ser dita anteriormente, é que independente de quanta pimenta do reino colocasse, não conseguia sentir a picância que deveria. Fazendo a omelete, coloca pimenta do reino e seus dedos ficam sujos. Logo vem seu pai, com uma má intenção.
- Lambe a pimenta aí para você ver que não arde quase nada.
Giovane confiava em seu pai então provou e por um segundo pensou " nossa, não arde mesmo ", mas estava muito enganado e arrependido, pois depois de dizer isso, pôde sentir sua língua queimando como carvão em brasas, então pensou " vou tomar um copo de leite e estará tudo resolvido ", acontece que no momento a caixa de leite que estava na geladeira, havia acabado e Giovane teve que esperar cerca de trinta segundos de pura dor e sofrimento até conseguir abrir outra caixa de leite.
Esse pequeno conto não interfere em nada nossa história, mas achei que deveria ser compartilhado.
Quinta-feira, 23 de agosto de 2018. Nosso herói já está na escola durante a terceira aula, esperando o sinal para o intervalo. Ao ouvi-lo, Giovane, como sempre, começa a andar em voltas, porém, mais uma vez se depara com Sabrina, mas dessa vez ela não está andando, e sim parada com algumas garotas, o que eliminava completamente a possibilidade de tentar fazer seu plano, então apenas segue seu caminho. Voltando para a sala, ele não sabia, mas sua vida que já era depressiva, estava prestes a ficar pelo menos três vezes pior, por um tempo. Ao entrar e sentar em sua cadeira, pôde ouvir Yasmin, sua prima, dizer claramente que era um cupido, logo em seguida Sabrina conversa com alguém que ele não conseguira identificar, mas ouve a seguinte frase durante a conversa " Eu virei e dei um beijo na mina ". Naquele momento, não sabia o que fazer. Seus olhos começaram a lacrimejar como se estivesse cortando um milhão de cebolas enquanto um anão tailandês chicoteava suas costas. Sentiu que todo o sentido de sua vida havia acabado, sentiu-se como se o chão que estava aos seus pés havia desabado. Para esconder sua tristeza de todos e de si mesmo, Giovane adotou um comportamento bem agressivo, mas enquanto conversava com Marcos ouviu-o dizer:
- Vamos fazer uma aposta amanhã. Tipo os gringos jogam pôquer e apostam salgadinho essas coisas, já a gente que é fudido aposta bala. A gente poderia, sei lá, jogar algum jogo de azar tipo pôquer, truco...
- Eu toparia um truco. – Disse nosso protagonista.
- Ok, então amanhã todo mundo traz bala para apostar e a gente joga um truco.
Chegando em casa, de noite, Giovane decide contar a seus amigos sobre o motivo de ter ficado tão furioso a partir do intervalo, exceto por uma parte que ele não conseguia parar de rir como se fosse um retardado " Bebidas Xabás ". E ao contar para Semeão, ele recebe um discurso motivacional quase tão bom quanto o que havia feito para Marcos.
- Giovane, sabe o que você precisa?
- O que?
- TVNC
- Wtf?
- Tomar vergonha na cara.
- Porra, semeon.
- Criar coragem e ir.
- Sim. Só preciso do meu bigode, ele me transmite segurança.
- Não deixe que coloquem o dedo na sua cara e digam quem você é!
- Minha autoestima começou a subir...
- Virou mó conversa motivacionap. Maldito correto. R.
- Maldito analfabetismo!
- Cara, você é o cara!
- É bizarro que eu nunca pensei que não conseguiria por falta de coragem, mas sim por rejeição.
- Você vai conseguir. Se tiver a lábia mais do que perfeita, você é imbatível!
- Sim, eu só preciso chegar nela.
- E puxar um bom papo.
- Com puxar um papo, você deve saber que eu vou chegar fazendo a proposta.
- Hum, é mesmo?
- Se a porra do Marcos tivesse seguido o plano...
- Então quando você chegar nela, já sabe...
- Agora tenho que ir.
- Vou recobrar o favor do Marcos, mas falous.
- O Kauã está mandando eu jogar com ele.
- Olha só, escravatura, mas falous.
Naquele mesmo dia, ele cobrou o favor e Marcos concordou em ajudar.
Dia 24 de agosto de 2018, na escola durante a primeira aula que deveria ser de artes, mais uma vez é uma aula vaga. Ao andar com Sem Mão e Raul, como sempre nosso herói se depara com Sabrina sentada com algumas amigas. Dando algumas voltas, durante uma delas, ao passar pelo grupo de garotas, nosso protagonista consegue ver claramente Sabrina olhar diretamente para ele por cerca de três segundos. E não era qualquer olhar, era um olhar tão certeiro que não havia a possibilidade de ela estar olhando para algum outro lugar. Esse fator somado às informações que Giovane havia conseguido ouvir ao longo do tempo, lhe dava uma chance de 99% de Sabrina estar afim dele.
Feliz para cacete, depois que a aula vaga acaba, volta para a sala e vai fazendo as lições até chegar a última aula de geografia. Todos haviam se lembrado do que Marcos havia combinado sobre o truco. Mas ninguém trouxe um baralho.
Depois de tudo isso, com sua confiança, nosso herói faz uma das coisas que mais se arrependeria em sua vida, ele decide aumentar a aposta que havia feito com Marcos para 20 reais. Se ele conseguisse, seria ótimo ganhar esse dinheiro, mas Giovane não pensou no caso de não ganhar a aposta, pois estava cego pela ganância do dinheiro fácil. Marcos aceita a proposta e dessa vez foi mais esperto por ter colocado um prazo de dois dias na aposta.
Durante alguns dias, nada de tão importante acontece que deva ser mencionado nesse livro. Isso até o dia 30 de agosto de 2018...
Giovane decide que pediria Sabrina em namoro durante o recreio, mas para isso precisaria da ajuda de Marcos, que concordou em ajudar depois de certas negociações.
É chegado o intervalo e a tensão estava subindo, até porque agora além de Sabrina, 20 reais estavam em jogo, e nosso herói não tinha nem perto disso...
Giovane anda durante o recreio procurando Marcos e acaba o encontrando.
- Então, cara... agora seria uma ótima hora para aquela ajuda...- Disse nosso protagonista.
- Ah, sim claro, claro... A gente só precisa encontrar a Sabrina...
E lá se vão Marcos, Giovane e Thiago (Não o Sem Mão) procurando a garota. Até que Marcos tem uma genial ideia (sem sarcasmo).
- Giovane, faz o seguinte: fica ali na árvore que eu vou ver se eu encontro ela e chamo-a aqui.
Nosso herói concordou com a cabeça e foi se dirigindo à árvore. Chegando lá, não parava de pensar o que iria dizer, até que de relance, consegue ver Marcos caminhando com Sabrina em sua direção. Eles haviam chegado.
- Então, o Giovane tem um negócio para te falar...
"É agora", pensava Giovane. Não havia mais escapatória.
- É então, é sobre o lance que eu ia falar ontem... Sabrina eu sou absurdamente afim de você, e você sabe disso, então... quer namorar comigo?
- Então... no momento eu não estou disponível..., mas se quiser a amizade, estamos aí.
Ele se sentia arrasado, detonado, zuado, fudido, quebrado.
Aquelas palavras ecoaram na cabeça de Giovane, que agradeceu a Sabrina por ter cedido seu tempo e foi embora andando. Por incrível que pareça, ele se sentia libertado. Triste, porém, libertado.
E nossa história termina aqui com um final não tão feliz(ou será que não?).
E com essa finalização, eu agradeço por ter tirado um tempo do seu dia para ler isso.
submitted by YareYareDaze007 to EscritoresBrasil [link] [comments]


2019.07.20 05:16 Luruisa Oi, então isso é meio que o inicio de um livro que estou tentando escrever o nome dele é, Por Onde Andou?

PROLOGO
O encontro estava seguindo bem, Nathan nem havia percebido o tamanho desconforto de Melissa, afinal era uma boa atriz, ria das piadas sem graça e conversava como se estivesse na companhia de uma das amigas. Já estava cansada de fingir, quando ele se levanta para ir ao banheiro, no mesmo instante que lhe da às costas, colocou a cabeça entre as mãos por um reflexo, se perguntava o que fazia ali? Nesse momento a única coisa passava pela sua cabeça era que precisava encontrar uma desculpa para ir embora sem ter que dar mais explicações, queria dizer algo a ele se levantar e ir em direção da porta sozinha e desaparecer, ao menos até no dia seguinte... Desde o começo desse encontro estava se perguntando em que momento pensou que fosse uma boa ideia vir até ali, como poderia ter pensado que seria divertido, alias divertido era o exato oposto do que esse encontro estava se tornando.
– Melissa... Está tudo bem com você? – A pergunta surpreende, ela não ouviu ninguém se aproximar da mesa, mas aquela voz... Não podia ser... À voz era de Thomas, o que ele estaria fazendo ali, ela estava ficando louca, devia ser um delírio, mas ao erguer a cabeça...
– Thomas? - De onde ele saiu? Fazia tempo que a estava observando? E o mais importante porque ele está parado ali, a encarando tão profundamente que parecia mergulhar em sua alma a procura de respostas que ela desconhecia.
– Você está bem? – Ele repete a pergunta para tirá-la do amontoado de pensamentos que rodeavam sua mente.
– Sim, estou... – falou perdida ao olhar dentro de seus olhos, ele parecia preocupado. – E você, como está? – Ela pergunta tentando sorrir e ignorar tudo que pulsava em seu peito.
– Eu estou bem. – Ele coloca a mão no ombro de Melissa, o que a fez se contrair. – Ei, o que houve?
– Nada vou ficar bem... – diz sem conseguir olhar nos olhos de Thomas, ela estava mentindo e não sabia como, mas ele a conhecia tão bem ao ponto de saber quando não insistir mais.
Ele passa a mão em seu braço enquanto a observa, ela nunca conseguia esconder o que sentia, pelo menos, nunca conseguia esconder dele, ele a conhecia não a tanto tempo, mas o suficiente para reconhecer que os olhos dela sempre explodiam de sentimento, quando estava triste seus olhos eram vazios e distantes, no entanto quando estava feliz ela sorria com os olhos.
Quando Thomas a viu aquela noite sentada em uma mesa com um rapaz que ele desconhecia, para qualquer outro ela aparentava estar confortável e feliz, mas não para ele.
Quando teve a chance de cumprimenta-la a primeira coisa que viu foi devastador o olhar dela estava tão triste quanto no dia que se despediram, ela não chorou aquele dia, mas seu olhar era de alguém que estava em frente a um cruzamento e não faz ideia para onde ir, ela estava tão perdida quanto naquele dia, mas dessa vez ele estava ali e não iria partir não a deixaria a própria sorte. Thomas a pegou pela mão e a fez levantar, colocou uma quantia de dinheiro sobre a mesa que pagaria pelo jantar e ainda sobraria para uma gorjeta generosa, Melissa o olhava sem saber como reagir ou o que dizer.
– Vamos. – ele não estava perguntando, ela o encara, parecia intrigada, mas ele já havia decidido que explicaria tudo que ela perguntasse depois, em um movimento a pegou pela mão e a levou, sem que ela oferecesse a menor resistência.
Ela não fazia ideia do que dizer a ele, queria perguntar como ele estava, quando voltou, mas seu primeiro objetivo era em sair dali. Com ele, sem questionamentos, só queria ir para um lugar longe de tudo aquilo. Eles se aproximaram de um carro e ele sinalizou para que ela embarcasse na porta do passageiro, e ela o fez. Duas quadras depois ela finalmente conseguiu formar palavras, sem pensar deixo sair às duas palavras que mais a afligiam.
– Quando volto? – falou assim de supetão, estava curiosa, mas tinha um fundo de raiva em sua voz, ela encarava a rua a sua frente, mas percebeu quando ele sorriu antes de responder. – Faz uma semana.

CAPITULO I
A cidade de Medusan nunca foi muito movimentada, mas nessa noite ela estava totalmente parada. Melissa podia contar nos dedos os carros que passaram por eles até que chegassem, ela não sabia exatamente onde mas chegaram. Thomas desceu mas não apagou os faróis, foi até a frente do carro e se encostou no capo. Ele estava esperando, esperava que ela fosse até ele, que ela se aproximasse por conta própria e isso não demorou muito. Ele quase sorriu quando ouviu o barulho da porta abrindo.
Ela não sentou ao lado de Thomas, ficou parada na sua frente de braços cruzados ela o encarava, devia ter muitas perguntas mas por algum motivo não falava nada.
– Como você está?– Thomas perguntou, ele queria que ela falasse, queria mesmo saber como ela estava. Mas ela não estava disposta a responder nada.
– Nem passou pela sua cabeça me avisar que iria voltar? Ou então me procurar antes?– Ela faz suas perguntas mas não queria que ele respondesse, não tinha uma justificativa para isso, ela queria que ele pedisse desculpa, mas ela sabia que ele nunca faria isso. – Lisa amanhã vai fazer uma semana que voltei, não...– Ele continuaria se fosse outra pessoa ou se eles estivessem em outros tempos, era a Melissa, sua melhor amiga que ele sempre adorou incomodar, aquela pessoa que ele irritava, só pra ver ela com raiva, ela nunca conseguia ficar brava com ele por muito tempo. – Foi mal eu deveria...
Ela não deu tempo para que ele pedisse desculpas, e o abraçou assim sem dizer nada a saudade que ela sentiu, era maior que a raiva ao saber que ele não a procurou antes.
– Você não devia ter feito isso, eu te odeio, mas senti tanto sua falta...– a respiração dela já estava irregular e a voz embargada, não queria o soltar nunca mais, e ele a abraçava com tanta força que parecia ter medo que ela fosse roubada de seus braços.
Depois de algum tempo ele afrouxou os braços que rodeava ela, com muito esforço se afastaram um do outro, como sentiu falta daquele abraço, como sentiu falta de estar na companhia dela.
– Fui um idiota, devia ter ido atrás de você...– Ele começou a falar mas logo foi interrompido, ela balançou a cabeça e sorriu de um jeito estranho, ela estava com vergonha.
– Você foi realmente um idiota, mas tudo bem,– ela estava começando a corar – faz uma semana, você devia estar ocupado – depois de uma pausa a expressão dela muda, e essa ele conhecia muito bem, ela fez um beicinho e forçou uma carinha de cachorro abandonado– Você nem devia lembrar que eu existia, quando me viu deve ter se assustado, deve ter pensado: Nossa aquela garota ali eu conheço de algum lugar, vou sequestrar ela para tentar lembrar da onde...– Ela caiu na gargalhada e não conseguiu mais fingir que estava magoada.
– Ei, eu não te sequestrei...– Thomas rebate, antes de cair na risada, ele a olhou sorrindo e percebeu o quanto ela havia mudado, mas apesar de tudo ela continuava sendo a sua Lisa que ele não trocaria por nada, e naquele instante tinha apenas uma certeza; nunca mais iria a deixar para trás.
Eles tinham muitos assuntos para colocar em dia, conversa vai conversa vem, Thomas tomou coragem de perguntar quem era o desconhecido do restaurante, Melissa sorriu amarga antes de responder.
– O nome dele é Nathan, e ele é novo aqui, se mudou com os pais. Essa semana deve ter ido umas 4 vezes no laboratório, na ultima ele me convidou para sair, não sei porque, mas aceitei. – Ele parece um cara legal.
– Ele é...– Melissa fica distante.
–O que aconteceu?
–Nada, acho que eu não devia ter saído daquele jeito...
–Desculpa– Thomas fala ao perceber que a culpa afinal era dele também, no entanto não resistiu em brincar – Você nunca suportou caras assim, eu fiquei tanto tempo assim fora?
Ela ri e gesticula com a cabeça em afirmativa.
–Eu devo ter enlouquecido... Ou talvez não seja eu, você já pensou na possibilidade de que enquanto você esteve fora eu possa ter sido abduzida por Et's e eles podem ter feito experiências com meu cérebro.
–Os Et's nunca iriam te abduzir, eles têm medo de que sua loucura seja contagiosa.– Thomas falou sério, mas não conseguiu manter-se assim por muito tempo, logo que olhou para ela e viu a expressão de quem parecia estar chocada, ela atuava como ninguém, ele teve que rir, como sentiu falta daquela garota.
–Senti falta do seu humor irritantemente sarcástico. –disse Melissa.
–Não tema, pois seu cavalheiro está de volta – disse Thomas fazendo uma pequena reverência.
Já estava tarde quando Thomas levou Melissa para casa, quando chegaram a mãe dela abriu a porta e comprimento Thomas, enquanto Lisa entrava.
– Boa noite Sra. Dantas –Boa noite Thomas, como está sua mãe? –Bem e a senhora?
–Estou bem, até mais Thomas. -disse ela adentrando a casa.
–Até– ele disse pra a Sra. Dantas.
– Boa noite Lisa.
–Boa noite Thomas.

CAPITULO II
Depois de colocar o pijama e se enterrar na cobertas, Lisa pegou o celular e lá estavam três mensagens:
Nathan, para Melissa às 19:36; "O que aconteceu? Para onde você foi?"
Nathan, para Melissa às 20:03; "Está tudo bem?"
A ultima mensagem era a unica que a deixava feliz era de Thomas:
Thomas, para Melissa às 00:24; "Oi, te vejo amanhã?"
Ela não sabia o que dizer, escreveu a unica verdade que poderia dizer a eles:
Melissa, para Nathan às 00:48; "Oi, desculpa. Estou bem, mas precisei ir embora."
Melissa, para Thomas às 00:50; "Oi, eu vou trabalhar amanhã."
Um instante depois o celular vibra,
Thomas, para Melissa às 00:51; "Te vejo amanhã, agora descansa, beijo."
Melissa, para Thomas às 00:52; "Ok, beijo."
Ela nem se deu ao trabalho de perguntar ele já havia ficado off, ela desligou o celular, fechou os olhos e dormiu rapidamente.

CAPITULO III

Já era quase cinco horas, o expediente de Melissa estava prestes a acabar, quando alguém entra no laboratório.
– Olá – que droga, Melissa não queria ter que dar explicações, não hoje, mas não havia para onde fugir, então depois de respirar fundo, sai de trás do balcão e vai de encontro com Nathan. – Oi.
– Olha você ai, está tudo bem? – Nathan pergunta, ele não parece bravo, tão pouco preocupado com o estado emocional dela.
– Estou, me desculpe por ontem, eu não devia ter indo embora daquele jeito.
– Não devia, o que diabos aconteceu?
Melissa não poderia dizer que o encontro foi um total desastre, não era culpa dele, era dela, que aceitou um encontro predestinado ao desastre.
– Eu não me senti bem, sinto muito mesmo.– ela se sentia péssima por mentir, mas isso era melhor que dizer a verdade, ao menos naquele momento.
Ele fez uma cara de incrédulo, mas não contestou as desculpas dela, foi interrompido antes, um cliente entrou no laboratório, Melissa sinalizou e disse:
– Preciso atender, – já se distanciando de Nathan, mas antes que conseguisse ir muito longe, ele a segurou pelo pulso e lhe disse:
– Quer sair hoje?
– Não posso,– ela disse ao se lembrar que Thomas havia dito que a veria hoje, e até aquele momento ele não havia aparecido, mas quando Thomas marcava algo com ela, ele sempre dava um jeito de aparecer.
Nathan soltou o braço dela sem saber o que dizer, Melissa não esperou que ele formulasse outra pergunta que ela não queria responder e foi em direção do cliente, logo depois o viu saindo do laboratório. Assim que acabou de atender ela fechou tudo, pegou seu casaco e saiu.

CAPITULO IV (inacabado)

Quando dobrou a esquina viu Thomas escorado no morro do outro lado da rua, ela atravessou e foi até ele. – E ai – ela cumprimentou, ele sorriu antes de responder. – Como vai princesa?– Ela riu, nunca gostou desse apelido, mas não se deu a trabalho de discutir, ele ofereceu o braço e ela aceito, e colocaram-se a andar na direção da casa de Melissa. Desde sua súbita chagada no dia anterior, ele não havia lhe dito por que voltou, o que o trouxe de volta, mas ela sentia que ele contaria para ela assim que estivesse reparado apesar de tamanha curiosidade que ela tinha, decidiu deixar que o amigo tomasse coragem por conta própria. Os assuntos eram tantos, falavam de como as pessoas mudaram, de seus antigos amigos, que por algum motivo acabaram se distanciando apesar de morarem na mesma cidade. – E Camile? - Thomas indaga depois de conversarem sobre alguns amigos. Melissa não entende o porque do nome naquele momento, elas nunca se deram bem, os pai de Camile eram vizinhos de Thomas antes de se mudarem para um bairro nobre da cidade, os pais dela eram ambos advogados e queria que a filha estudasse direito, mas para desgosto deles ela optou por estudar arte em uma cidade vizinha. No entanto ela volta e meia está pela cidade para a infelicidade de Melissa.

[...]
submitted by Luruisa to EscritoresBrasil [link] [comments]


2019.05.24 01:42 readyfortheplague Fissura !

E da piada que todos estão rindo ... mas alguém não está !
será que procurando uma estupidez dentro da própria mente ?
não !
talvez ele se odeie
não !
não !
improvável !
mesmo sendo parte do conjunto não ri da piada !
talvez não tenha entendido !
então seja a perfeição que compõe a piada e os que adentro na legislação de sua cognição !
o que será que aconteceu ?
por que todos riem da piada !? e aquele não riu!?
será que não consegue rir !?
você sabe que não pode fazer nada por esse coitado
talvez ele se odeie !
não ! não ! muito pouco provável !
talvez ele odeie quem a conta !!!
talvez ele esteja esquivando do fator comédia e em uma epifania analítica esteja analisando o teor consistente da piada pra depois rir !
mas ainda sim !
não está rindo !
não ao primeiro setentrional da piada ! a verticalidade talvez seja mais interessante !
vai ter um pra dizer que é tristeza !
vai ter um dizendo que é incapacidade de mover os lábios para isso ! você sabe que não pode fazer nada por ele !
talvez essa seja a piada !
talvez não tenha sentido ou já a tenha escutado ! e sabe como termina e já riu tanto que perdeu a sensibilidade ao seu contexto !
talvez ele se odeie !
não ! não ! muito pouco provável !
submitted by readyfortheplague to u/readyfortheplague [link] [comments]


como fazer alguém rir vai morrer de rir com essa piada do joãozinho Vídeos para fazer você fazer xixi de tanto rir!! - YouTube Como fazer alguem rir Piadas para morrer de rir - YouTube COMO CONTAR UMA PIADA ? - YouTube

Piadas em Quadrinhos Engraçadas Zisno

  1. como fazer alguém rir
  2. vai morrer de rir com essa piada do joãozinho
  3. Vídeos para fazer você fazer xixi de tanto rir!! - YouTube
  4. Como fazer alguem rir
  5. Piadas para morrer de rir - YouTube
  6. COMO CONTAR UMA PIADA ? - YouTube

10 piadas hilárias pra vc rir e contar para seus amigos(LER DESCRIÇÃO POR FAVOR). - Duration: 2:14. ... COMO CONTAR UMA PIADA ? - Duration: 2:47. Muyloco 99,303 views. 2:47. Se você gostou de se like compartilha e si inscreva-se canal deixe seu comentario também Fale que você achou ... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Como Fazer Alguém Rir (O Jeito Mais Fácil) - Duration: ... Como fazer uma pessoa SORRIR - Duration: ... 10 piadas hilárias pra vc rir e contar para seus amigos(LER DESCRIÇÃO POR FAVOR). ... Fernando Muylaert foi até o risadaria para aprender a como Contar uma boa piada. EntraNessaPorra.com Co-produção MUY PRODUÇÕES E UOL